Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Paciente com 60 anos, fumante ativo, apresenta tosse e expectoração hemóptica. Procurou assistência médica. A radiografia de tórax em PA (póstero-anterior) e perfil revelou opacidade hilar, gerando suspeita de câncer pulmonar. A realização de tomografia computadorizada (TC) de tórax e abdome superior poderá fornecer, exceto:

A
detalhes sobre as características da superfície do tumor, sua localização em relação às estruturas de mediastino e à parede torácica.
B
visualização mais periférica da árvore traqueobrônquica e possibilidade de biópsias de lesões situadas em brônquios segmentares.
C
detalhes da presença de metástases em pulmões, fígado, adrenais e esqueleto ósseo torácico.
D
detalhes da existência de derrames pleurais ou pericárdicos pouco volumosos.
E
estudo dos linfonodos do mediastino com precisão, permitindo divisar sua localização anatômica, sua densidade e seu tamanho.
Pré-escolar de 9 anos, previamente hígido, iniciou há 5 dias com quadro de amigdalite, sendo prescrito amoxicilina. Há 2 dias houve piora do estado geral, com surgimento de cefaleia, vômitos e rigidez de nuca. Procurou atendimento de urgência, sendo diagnosticada meningite bacteriana e iniciado antibioticoterapia venosa com ceftriaxone. A via de infecção e etiologia mais prováveis do quadro meníngeo são:
É CORRETO afirmar em relação ao quadro clínico do Transtorno Depressivo Maior: I - São critérios fundamentais para o seu diagnóstico: humor deprimido e/ou falta de interesse e motivação e anedonia. II - Delírios de culpa e de ruína podem fazer parte do quadro clínico da depressão psicótica. III - Sintomas de irritação, mau humor, não fazem parte do quadro de depressão.
A artéria gastroepiploica direita é ramo da:
Paciente masculino, 50 anos, hipertenso e tabagista, apresenta história de claudicação intermitente de panturrilha esquerda para curtas distâncias (50 metros), sem melhora com tratamento conservador. Ao exame clínico, apresenta pulso femoral cheio no membro inferior esquerdo, com pulsos poplíteo e tibiais impalpáveis, ausência de lesões tróficas e índice tornozelobraquial de 0,6. Assinale a alternativa que apresenta a melhor justificativa para a opção pelo tratamento cirúrgico em relação ao tratamento endovascular nesse caso.
Compartilhar