Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hematologia

Paciente com 70 anos, feminino, foi internada com hematêmese e melena há três dias, sem instabilidade hemodinâmica, apresentando, na endoscopia digestiva alta, uma lesão ulcerada em corpo gástrico, na vertente posterior da grande curvatura. Para o diagnóstico de tumor estromal gastrointestinal, assinale a afirmativa incorreta.

A
Deve ser suspeitado nos casos de tumores de células fusiformes, cujo exame histológico demonstre neoplasia fusocelular.
B
Para confirmação diagnóstica é mandatório exame imuno-histoquímico com pesquisa do CD 117 (c-Kit).
C
Apresentando positividade para c-Kit, pode ser submetido, além do tratamento cirúrgico (nos casos ressecáveis), ao uso do Imatinibe (ST1-571).
D
O PET scan é o exame que tem que ser realizado para a confirmação diagnóstica.
E
Quando existe uma forte suspeita clínica de que o paciente tenha GIST e a análise imuno-histoquímica resulta em KIT negativo, deve-se solicitar análise molecular do tecido tumoral, tanto para avaliar a presença de mutações no gene do c-KIT, como para avaliar mutações no gene do PDGFR alfa (plaquet-derived growth factor receptor alfa).
Sobre Hipertensão Arterial Sistêmica ( HAS), considere as seguintes afirmações: I - A principal relevância da identificação e controle da HAS reside na redução das suas complicações, tais como: doença cérebro-vascular e doença renal crônica. II - Hipertensão arterial é definida como pressão arterial sistólica maior ou igual a 140mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90mmHg. III - Hipotereoidismo e hipertireoidismo são causas de hipertensão secundária. Quais estão corretas?
Considerando as principais estratégias para o tratamento não-farmacológico da Hipertensão Arterial Sistêmica, a alternativa correta e mais completa é:
Considere-se o caso de paciente feminina, de 36 anos, com Índice de Massa Corporal (IMC) =33kg/m², com Relação Cintura/Quadril (RCQ)=1. Segundo a World Heath Organization (WHO), 1998,
A obesidade na gestação contribui para a morbimortalidade gestacional e fetal. Em qual das situações abaixo o excesso de peso materno NÃO é fator de risco?
Compartilhar