Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Neurologia

Neuropediatria

Paciente com 9 meses de idade, sexo feminino, comparece para consulta de rotina no ambulatório de puericultura. A família nega queixas e relata que a criança é muito ativa e esperta, observando preferência para segurar brinquedos com a mão esquerda, por ser “canhota”. Ao exame físico a paciente firma a cabeça, rola, senta sem apoio, ainda não engatinha, fica em pé com apoio e troca passos com apoio. A resposta obtida ao se testar o reflexo cutâneo plantar é de extensão dos dedos bilateral. Baseado nesses dados você conclui que:

A
A paciente apresenta desenvolvimento neuropsicomotor normal e já definiu a lateralidade, tendo a mão esquerda como dominante.
B
A paciente apresenta lesão no trato piramidal bilateral uma vez que o sinal de Babinsk está presente.
C
O desenvolvimento neuropsicomotor não está adequado, pois nesta idade as crianças já engatinham.
D
Considerar a possibilidade de diagnóstico de Encefalopatia Crônica Não Progressiva do tipo hemiparética.
Ligamento formado pelo periósteo e pela fáscia ao longo do ramo superior do púbis. Essa estrutura é posterior ao trato iliopúbico e forma a borda posterior do canal femoral com importância anatomocirúrgica:
Paciente de 35 anos, sexo masculino, comparece ao ambulatório com queixa de dor lombar persistente há seis meses. Refere que a mesma é pior ao acordar e melhora ao longo do dia com movimentação ou exercícios. Procurou pronto-socorro há alguns meses, tendo recebido receita de anti-inflamatório, do qual faz uso eventual com melhora parcial do quadro. Exame físico mostrou dor à palpação das articulações sacroilíacas e restrição da flexão da coluna (teste de Schober positivo). Exames laboratoriais recentes estão normais. Radiografia de tórax e de sacroilíacas estão normais. Considerando a principal hipótese diagnóstica para este paciente, qual a conduta terapêutica mais adequada no momento?
Homem de 52 anos de idade, tabagista de 1 maço/dia por 25 anos, apresentou infarto agudo do miocárdio há 20 dias e, após, parou de fumar. Refere estar com irritação, insônia, ansiedade e constipação. Está em uso de bupropiona 150 mg de 12/12h. A melhor conduta, além do aconselhamento com intervenção intensiva, é:
Um paciente de 48 anos tem diagnóstico de cirrose hepática por vírus B e está na fila de transplante hepático. Vem tendo hematêmese há 2 dias. Realizou endoscopia digestiva alta há 24 horas, que mostrou varizes esofágicas de grosso calibre. Não foi possível parar o sangramento com esclerose ou ligadura. Logo após a endoscopia, foi passado balão esofágico, para controle do sangramento. Foi introduzida terlipressina. Após 24 horas, foi retirado o balão e feita nova endoscopia, mas não houve sucesso no controle da hemorragia das varizes. Melhor conduta neste momento:
Compartilhar