Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente de 18 anos, iniciou atividade sexual há 02 (dois) anos, com acompanhamento médico regular, fazendo uso de anticoncepcional oral desde então. Procurou ambulatório de ginecologia com história de que o parceiro atual apresentava “verrugas genitais“. Ao exame ginecológico não foi observada qualquer lesão em vulva, vagina ou colo uterino, a visão desarmada. Foi realizada coleta de material para colpocitologia oncótica, cujo resultado foi de Lesão intraepitelial de baixo grau/NIC I. A conduta mais adequada para este quadro é:

A
Realizar colposcopia com biópsia por cirurgia de alta frequência, caso a lesão seja completamente visível;
B
Realizar colposcopia e caso seja insatisfatória, realizar conização de imediato;
C
Aplicar ácido tricloroacético a 90% na junção escamo colunar estimulando a reepitelização;
D
Repetir a colpocitologia em 06 (seis) meses e caso a alteração persista, realizar colposcopia com exame histopatológico para descartar lesão mais grave.
Homem, 50 anos, branco, após reforma de aviário foi internado com febre, dispneia e tosse. Foi diagnosticado pneumonia, não apresentando melhora com antibióticos. Refere que um colega de trabalho que o auxiliou na limpeza do aviário também apresentou sintomas semelhantes logo após o serviço. Nega emagrecimento, etilismo, tabagismo ou uso de medicamentos. A gasometria revela hipoxemia e o Raio-X de tórax mostra opacidades alveolares bilaterais de predomínio cortical e com micronódulos difusos. Qual a hipótese diagnóstica mais provável?
A equipe de saúde da família em que você atua recebe para avaliação um senhor (45 anos), membro de uma família de sua área de atuação, que se refere ter chegado há uma semana do município de João Dourado, na Bahia. Ele está bastante apreensivo, pois ouviu falar na imprensa sobre o risco de estar trazendo sarampo para a sua família. Em relação a essa situação, pode-se afirmar que:
Lactente de 10 meses de idade, sexo feminino, iniciou quadro de edema simétrico das mãos e pés. Ao exame estava irritado e apresentava palidez cutaneomucosa. Responsável informa que este quadro é o primeiro. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Nao é complicação de punção da arteria subclavia direita:
Compartilhar