Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente comparece ao ambulatório de Ginecologia apresentando sintomas compatíveis com climatério, mais ainda não apresenta critérios absolutos para este diagnóstico. Caso o médico julgue necessário, para fazer o diagnóstico laboratorial da falência ovariana, deve ser solicitado primariamente a dosagem sérica de:

A
LH;
B
FSH;
C
Estradiol;
D
Progesterona.
Quanto às indicações de cirurgia bariátrica, é correto afirmar:
Recém-nascido a termo, pesando 2100g, com APGAR 4 no primeiro minuto e 6 no quinto minuto, apresentou policitemia com sintomas de hiperviscosidade no segundo dia de vida. Foi realizada exsanguineotransfusão parcial sem intercorrências. Após o procedimento, ficou 48 horas sem evacuar, apresentando hipoatividade e distensão abdominal com alças de delgado desenhadas em relevo sob a parede abdominal. Após suspender a amamentação, indica-se nutrição:
Recém-nascido com oito horas de vida, apresenta cianose universal intensa. Exame físico: Pulsos universalmente palpáveis; precórdio calmo; ausculta cardíaca com ritmo cardíaco regular em dois tempos, bulhas normofonéticas com B2 única, sem sopros. Radiografia de tórax: Hipofluxo pulmonar e coração de tamanho normal. Gasometria: Hipóxia grave com acidose metabólica. A conduta imediata, além de instituir oxigenioterapia e corrigir a acidose com bicarbonato, é prescrever:
Paciente de 12 meses de idade, sexo feminino, vem a consulta médica por falta de ganho ponderal há 60 dias. Sem outras queixas. A mãe refere que a criança alimenta-se normalmente, apresentando dieta adequada para a idade. Seu peso atual está no P 3 (anteriormente no P10) e a estatura no P 25 (anterior P25). O exame físico geral e segmentar não apresenta alterações. Há aproximadamente 1 semana, realizou hemograma e parasitológico de fezes que foram normais. Qual seria a melhor conduta para este paciente?
Compartilhar