Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Nefrologia

Paciente consulta no PS com tosse produtiva e escarro amarelado, acompanhada de dispnéia intensa. Ao exame:PA=120/60mmHg,FC=106bpm,FR=28mrpm,Tax=38°C,SatO2=91% em ar ambiente.RX de tórax mostrava imagem de consolidação em lobo inferior do pulmão esquerdo. Evolui com oligúria nas primeiras horas. O laboratório evidenciava leucocitose com desvio à esquerda e insuficiência renal aguda.Qual o diagnóstico?

A
Sepse pulmonar.
B
Choque séptico de foco pulmonar.
C
Sepse grave de foco pulmonar.
D
Síndrome da resposta inflamatória sistêmica.
E
Lesão pulmonar aguda.
Criança de quatro anos de idade, parda, acompanha regularmente em posto de saúde do seu bairro. Apresenta déficit pondero-estatural (abaixo do percentil 25) com vários tratamentos adequados para anemia, com sulfato ferroso, há dois anos. Dá entrada no Pronto Atendimento com dor intensa em MMII e edema de dorso de pés, pálida e prostrada. FC=123 bpm, PA=70/40 mmHg. O diagnóstico provável em relação ao caso é:
Criança de quatro anos de idade com queixa de febre alta (39,8ºC) há mais de sete dias inicia edema de dorso de mãos e pés e “rash” cutâneo há um dia. Apresenta congestão conjuntival, língua em framboesa e exantema difuso em mucosa oral e faríngea. Hemograma apresenta leucocitose com desvio nuclear à esquerda. O diagnóstico mais provável é:
Num paciente chocado em que há suspeita de insuficiência aguda de suprarrenais, quais as alterações eletrolíticas frequentes que dão força à suspeição diagnóstica e orientam para o tratamento imediato com hidrocortisona?
Homem de 48 anos, natural de Paranaguá, estivador. Há três meses com inapetência, tosse seca, emagrecimento, tosse produtiva mucopurulenta, febre e episódios hemoptóicos. Tabagista e etilista crônico. No exame físico apresenta-se com diminuição de MV e raros estertores expiratórios no 1/3 antero-superior de hemitórax direito. O RX de tórax evidenciou condensação infraclavicular direita, com grande cavitação no seguimento anterior. As hipóteses diagnósticas mais prováveis, por ordem decrescente de probabilidade, são:
Compartilhar