Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Paciente de 24 anos de idade, sexo feminino, com diagnóstico de retocolite ulcerativa inespecífica. Apresenta quadro de dor abdominal difusa, febre, distensão abdominal. Ao exame físico encontra-se com confusão mental, temperatura de 39º C, abdome distendido e doloroso difusamente à palpação, com descompressão brusca positiva. A radiografia simples de abdome apresenta grande distensão de colo transverso, que tem diâmetro de 10 cm, não se observando sinais de pneumoperitônio. Com relação ao caso descrito, o diagnóstico e a conduta seriam:

A
megacolon tóxico - colectomia subtotal com ileostomia e fechamento do coto retal à Hartmann.
B
volvo de sigmoide - retosigmoidoscopia descompressiva.
C
neoplasia de colo obstruída - colostomia em ângulo hepático do colo.
D
colite pseudo-membranosa - antibióticos de largo espectro.
E
colite isquêmica - vasodilatadores.
Assinale a alternativa que apresenta um medicamento que NÃO é utilizado para profilaxia da migrânea.
Com relação à cefaleia na sala de emergência, identifique se as afirmativas a seguir são verdadeiras (V) ou falsas (F). ( ) Pode ser primária ou secundária, sendo necessário exame complementar para classificá-la. ( ) As cefaleias mais frequentes na emergência são as do tipo migrânea e tensional, que podem receber o mesmo tratamento agudamente. ( ) Se acompanhadas de sinais autonômicos, frequentemente são secundárias. ( ) Se associada à náuseas e vômitos, deve ser investigada. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.
Uma paciente de 50 anos de idade que já foi submetida à quimioterapia sistêmica para linfoma apresenta hematúria macroscópica. O agente quimioterápico que pode causar cistite hemorrágica é:
Responda a próxima questão considerando o caso clínico que segue. Paciente do sexo masculino, 38 anos, pedreiro, casado, natural e procedente de Natal, é admitido em pronto-socorro queixando-se de dor abdominal difusa e febre alta, que se seguiu a sonolência. O acompanhante revela que o quadro se instalou nas últimas 48 horas e que o paciente é portador de cirrose hepática de etiologia alcoólica. Ao examiná-lo, o médico evidencia sonolência, miose, taquisfigmia, temperatura de 38 graus centígrados, torpor. Não há sinais de irritação meningo-radicular. A ausculta cardiopulmonar não acrescenta novos dados. O exame abdominal revela ascite tensa. A intervenção terapêutica correta para esse caso é:
Compartilhar