Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente de 35 anos, nuligesta, ciclos menstruais regulares, comparece à consulta com ultrassonografia endovaginal evidenciando lesão em parede posterior de corpo uterino, subserosa e intramural sugestiva de Leiomioma. A melhor conduta neste caso é:

A
Terapia hormonal.
B
Realizar miomectomia histeroscópica.
C
Realizar embolização das artérias uterinas.
D
Acompanhar com ultrassonografia.
E
Prescrever acetato de medroxiprogesterona trimestral.
Lactente de 2 anos de idade é atendido com queixa de distensão abdominal e edema de membros inferiores. Mãe refere emagrecimento, anorexia e irritabilidade a partir de 1 ano de idade. As fezes são semi-pastosas, de cor acizentada, brilhantes e em grande quantidade, sem muco ou sangue. Não apresenta vômitos.Teve aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade; a partir de então recebe frutas, leite de vaca e sopa com legumes, cereais e carnes. Ao exame a criança está desnutrida, com tecido celular subcutâneo escasso, glúteos diminuídos, irritada, hipocorada, anictérica, com edema em membros inferiores e distensão abdominal, sem visceromegalias. O restante do exame físico é normal. Qual a principal hipótese diagnóstica para este caso?
As infecções do trato urinário são comuns durante a gestação e a bacterirúria assintomática é a forma mais frequente. De um modo geral, o germe habitualmente mais encontrado neste tipo de infecção é:
Paciente de 30 anos foi submetida há 4 dias à operação cesariana por parada de progressão e desproporção cefalopélvica em gestação a termo. Na história clínica a amniotomia ocorreu 2 horas antes do nascimento. Há 48 horas vem apresentando queda do estado geral, cansaço e febre de 39º C. Ao exame físico, além da febre, identifica-se útero amolecido com seu fundo 2 cm abaixo da cicatriz umbilical, doloroso à palpação e com lóquios amarelados, espessos e fétidos. As mamas e a ferida operatória estão com aspecto normal. Neste quadro a infecção puerperal é compatível com:
No acompanhamento do trabalho de parto podemos detectar, através do partograma:
Compartilhar