Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Infectologia

Paciente de 36 anos, do sexo feminino, com diagnóstico de AIDS há 3 meses, quando iniciou tratamento com biovir e efavirens, apresentou dosagem de CD4 de 118 cel mm³. Refere, há 2 semanas, quadro de diarreia aquosa em grande volume acompanhada de distensão, flatulência e dor abdominal, emagrecimento de aproximadamente 3 kg. É correto afirmar:

A
Devemos pensar em doença de Crohn e iniciar imediatamente tratamento com corticosteroides.
B
Trata-se de quadro compatível com retocolite ulcerativa inespecífica, devendo ser indicada colonoscopia.
C
Paciente deve ter Criptosporidiose ou Isospora belli, devendo ser feita investigação desses agentes nas fezes.
D
Deve-se considerar fortemente a possibilidade de micobactéria atípica, portanto tratar.
E
Com grande possibilidade, deve ser infestação por Oxyurus vermicularis.
Febre baixa há cinco dias, acompanhada de icterícia surgida dois dias depois, foram as queixas que levaram um pintor de 27 anos ao seu consultório particular. Ele portava exames de sangue realizados no dia anterior: TGP = 1.400 U/I; TGO = 1.100 U/I; bilirrubina total = 3,6 mg/dl (fração direta = 2,7); albumina = 4,2 mg/dl; INR = 1,1; HBsAg positivo; anti-HBc IgM positivo; anti- HBc IgG negativo; anti-HAV IgM negativo; anti-HAV IgG positivo; anti-HCV negativo. Você fez o diagnóstico e, então, tomou a seguinte conduta:
Na população adulta, o patógeno mais frequentemente encontrado nos casos de peritonite espontânea (primária) é o seguinte agente microbiano:
A complicação mais frequentemente encontrada no pós-operatório tardio das herniorrafias inguinais, realizadas por via anterior, costuma ser:
Leia o caso e responda. Mecânico aposentado de 65 anos, antigo morador da comunidade do morro dos Macacos, retorna à consulta, após seis meses, com o médico de família na USF. Foi trazido pela agente comunitária (ACS), que, preocupada com a situação, agendou o atendimento. O paciente é hipertenso e, há dois anos, sofreu um infarto agudo do miocárdio. Antes do atendimento a ACS relatou ao médico que, desde o falecimento da esposa (oito meses antes), o paciente tem morado sozinho, parou de vir às consultas, tem saído pouco de casa e quase não conversa com os vizinhos. Na visita familiar ela notou que ele estava mais magro, com aparência suja e descuidada, dormindo pouco e bebendo quase todo dia. O único medicamento que tomava era captopril duas vezes ao dia. O paciente trouxe exames feitos há um mês na UPA, quando apresentou dor no peito: glicose = 116 mg/dl; CKmb = 10 U/I; troponina não reagente; colesterol total = 200 mg/dl; triglicerídeos = 300 mg/dl, creatinina = 1,1 mg/dl, Hb = 13 g/dl, Hto = 39%. O ECG mostrava área inativa em parede inferior e sobrecarga atrial esquerda. Na consulta o médico identificou uma pessoa de aparência triste e cansada. No exame físico: PA = 160 x 100 mmHg, FC = 80 bpm, IMC = 23; Ausculta cardiorrespiratória sem alterações. As ações que devem estar contidas no plano terapêutico a ser desenvolvido pela equipe do PSF com o paciente neste encontro, são as descritas abaixo: 1. Encaminhar para ambulatório de psiquiatria para iniciar medicação psicotrópica; 2. Fazer contato com vizinhos e familiares para alertar da necessidade de apoio e observação; 3. Procurar com o Serviço Social um asilo para abrigar seu João temporariamente; 4. Contactar o apoio da saúde mental (NASF) para avaliar medicação psicotrópica; 5. Fazer visitas domiciliares semanais com o ACS e a enfermeira; 6. Encaminhar o paciente para o grupo de atividade física para cardiopatas. Dentre elas, pode-se dizer que estão corretas as afirmativas:
Compartilhar