Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Neurologia

Hematologia

Paciente de 4 anos, com quadro súbito de febre alta intermitente, cefaleia, diarreia aquosa (seis episódios de fezes líquidas ao dia, sem sangue), prostração e anorexia. No quinto dia de doença, evoluiu com remissão da febre, porém persistiu o quadro diarreico. Procurou a Unidade Básica, sendo diagnosticada gastroenterite viral e forma prescritos sintomáticos (hioscina e soro de reidratação oral). No sétimo dia de doença, apresentou piora significativa do estado geral, vômitos repetidos, irritabilidade e oligúria, quando foi levado ao pronto-socorro. Ao exame físico, apresentava-se em mau estado geral, corado, desidratado moderadamente, afebril, agitado, consciente, anictérico, acianótico, PA deitado: 70 x 50 mmHg. Frequência cardíaca: 128 bpm. Frequencia respiratória: 44 irpm. Pele: petéquias em membros inferiores. Segmento cefálico: sem alterações. Tórax: ausculta pulmonar com murmúrio vesicular diminuído em bases pulmonares. Ausculta cardíaca com bulhas rítmicas, 2 tempos, sem sopros. Abdômen: fígado palpável a 2 cm do rebordo costal direito, doloroso; traube livre; ruídos hidroaéreos aumentados. Exame neurológico: sem alterações. Exames complementares: hemograma: Ht: 53, 1%, Plaquetas: 61.000/mm³, Leucócitos totais: 14.100/mm³, com diferencial normal. Albumina 3, 7 g/dl, AST: 527 UI/I, ALT: 245 UI/I. Nesse caso:

A
a criança apresenta complicação hematológica compatível com púrpura trombocitopênica idiopática.
B
o quadro de desitratação moderada pode ser tratado com soro oral (TRO: plano B e o uso de antieméticos) e acompanhamento ambulatorial.
C
os sinais de derrame pleural, oliguria, agitação e vômitos de repetição constituem indicativos potenciais de gravidade.
D
a necessidade de reposição de plaquetas deverá ser avaliada após reidratação (por TRO ou EV) se novos exames indicarem plaquetopenia inferior a 50.000.
Homem com 62 anos, em consulta com urologista traz os seguintes resultados de exames: PSA = 35 ng/ml (valor de referência: < 4 ng/ml) e radiografia da pelve evidenciando a presença de lesões osteolíticas. Biópsia transretal da próstata revelou diagnóstico de adenocarcinoma e cintilografia óssea demonstrou múltiplas lesões hipercaptantes em ossos da pelve e coluna vertebral. O tratamento proposto ao paciente deve ser:
Associe as estruturas vitreas embrionárias com as correspondentes no adulto. Vítreo secundário:
Homem de 68 anos, sem comorbidades, totalmente assintomático, procura urologista para realizar exame da próstata. Ao exame físico apresenta próstata de 50 gramas, fibro-elástica, sem nódulos. PSA = 4,2 ng/dL. Submetido à biópsia prostática que revelou adenocarcinoma de próstata Gleason 6 (3+3) em 5% de 2 fragmentos entre 12 analisados. Assinale a alternativa correta:
Mulher, 68 anos, diabética e hipertensa com quadro de hemiparesia a esquerda há 15 dias com reversão espontânea do quadro em menos de 24 h. Realizado exames complementares em caráter ambulatorial, e dentre eles uma angiorressonância, que evidenciou estenose de cerca de 90% da artéria carótida externa esquerda e calcificações com oclusão total da artéria carótida interna direita. Artérias carótidas comuns e interna esquerda com placas irregulares, mas sem alteração de velocidade de fluxo. Qual a melhor conduta para este caso?
Compartilhar