Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Mulher, 61 anos, apresenta-se na emergência, com dor em fossa ilíaca esquerda, há 10 dias, associada a náuseas, vômitos e febre de 38,8º. Refere outros episódios semelhantes no passado, porém com menor intensidade. Ao exame físico, apresenta-se taquicárdica, hipotensa e abdome com irritação peritoneal difusa. A radiografia simples de abdome demonstra alças distendidas de intestino delgado, níveis hidroaéreos, sem evidência de ar no reto. A contagem leucocitária é de 26000/mm³ com desvio à esquerda (8% de bastonetes). A proposta terapêutica inicial para essa paciente é:

A
realização de sigmoidoscopia de urgência para melhor elucidação diagnóstica.
B
internação hospitalar, hidratação, sondagem nasogástrica e observação.
C
enema com contraste hidrossolúvel para avaliação diagnóstica de diverticulite ou neoplasia de cólon.
D
exploração cirúrgica de urgência.
Homem, 60 anos, com antecedente de infarto agudo do miocárdio procura cardiologista para avaliação pré-anestésica há 8 meses. Recentemente, recebeu diagnóstico de adenocarcinoma prostático e foi indicada prostatectomia. Nega episódio recente de angina ou dispneia aos médios e pequenos esforços e está em uso de diltiazem e aspirina. Exame físico: PA = 120 X 84 mmHg, FC = 82 bpm, ritmo cardíaco regular. Ecocardiograma: fração de ejeção de 0,6. ECG: distúrbio de repolarização ventricular. A CONDUTA É:
Em relação à ressuscitação cardiopulmonar na criança, assinale a correta.
Paciente de 34 anos, sexo feminino, apresenta há 7 dias, dor em faixa em abdome superior de forte intensidade, acompanhada de vários episódios de vômito nesse período. Ao exame, o abdome é flácido, doloroso à palpação, principalmente em epigástrio, sem visceromegalias palpáveis. A dosagem de amilase e lipase estão normais. Podemos afirmar que:
NÃO constitui fator de risco associado a nefrolitíase idiopática, responsável pela maioria dos cálculos sintomáticos:
Compartilhar