Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Endocrinologia

Hematologia

Reumatologia

Paciente de 46 anos, sexo feminino, cor branca, com QDP - flatulência há mais de 10 anos, HDA - flatulência e sensação de distensão, algumas vezes associadas a períodos de fezes amolecidas, explosivas de 3 a 4 vezes ao dia, nega dor abdominal ou presença de produtos patológicos nas fezes. Antecedentes patológicos: lesões eritomatovesiculares em ambos os cotovelos, osteopenia diagnosticada há 4 anos e tratada, hipotireoidismo em tratamento, ciclo menstrual regular e habitual; antecedentes pessoais: anemia ferropriva há mais de 1 ano, tratada, história de atopia na infância; antecedentes familiares: mãe com câncer de mama. Exame físico: BEG, descorada +/4+ pele, presença de lesões populares em ambos cotovelos e demais exames sem particularidades; exames laboratoriais: Hb-10,7 leucócitos-7350 PCR- 2,3, teste de tolerância da glicose 86/94/87/84 lgA 4 AST e ALt normal, antiendomísio negativo colonoscopia normal, EDA- edema difuso das pregas duodenais com presença de pregas serrilhas. Qual a melhor conduta para o diagnóstico do caso?

A
Repetir o antendomísio em outro laboratório.
B
EDA com biópsia da 2°porção do duodeno.
C
Enteroscopia com biópsia de jejuno.
D
Dieta restrita de glúten, avaliar a resposta clínica.
E
Reposição de ferro e tratamento assintomático.
A cripta de Lieberkuhn:
No diagnóstico dos derrames pleurais são causas de transudato, exceto:
Em uma situação em que não há disponibilidade de ultrassonografia, uma mulher apresentou- se ao Médico de Família e Comunidade com dor pélvica, mas sem sinais de irritação peritoneal. Qual dos grupos de achados abaixo apoiaria integralmente o diagnóstico de doença inflamatória pélvica aguda?
No cuidado pré-hospitalar das queimaduras é correto fazer:
Compartilhar