Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Paciente de 58 anos, tabagista de mais de 30 cigarros/dia, vai à emergência com história de que, há mais ou menos 3 horas, começou com calafrios. Já apresentava tosse produtiva purulenta e calafrios tremulantes uma semana antes, e chiado no peito. Sabia ser portadora de DPOC e usava broncodilatador de longa duração e corticoide inalatório, sendo que, às vezes, nebulizava com fenoterol e ipratrópio. Foi realizado RX de tórax que mostrou consolidação no lobo médio e língula. A paciente não apresentava outras comorbidades. Estava lúcida, orientada, FR 22, FC 90 e SatO2: 94%. Com relação a esse caso, podemos dizer que:

A
por ser portadora de DPOC, a paciente deve obrigatoriamente ser internada no hospital
B
a historia clínica e os calafrios tremulantes são compatíveis com o diagnóstico de exacerbação aguda da DPOC.
C
em se tratando de uma pneumonia adquirida na comunidade, os critérios de gravidade poderiam definir o melhor local de tratamento.
D
caso a opção seja por tratamento domiciliar, não há necessidade de reavaliação em 72 horas
E
o quadro clínico dispensa o uso dos critérios de gravidade e já autoriza antibiótico oral e tratamento domiciliar.
A mãe de um lactente com 34 dias procura consulta com queixa de que o cordão umbilical ainda não caiu. Nessa circunstância, o pediatra deve:
A.M.B., 6 anos, foi internado na emergência pediátrica por estado de mal asmático. Qual, entre os dados abaixo, é o mais importante preditor de desenvolvimento de estafa respiratória e de necessidade de ventilação mecânica?
Menino de seis anos, branco, sem outras comorbidades, apresenta queixa de dor em virilha e face medial de joelho esquerdo há uma semana. Não se recorda de trauma que justifique a dor. Ao exame não se observa edema nem outros sinais flogísticos, apenas restrição da rotação interna e abdução do quadril esquerdo e marcha claudicante. Na radiografia de quadril observa-se aumento da densidade óssea na cabeça do fêmur. A principal hipótese diagnóstica é:
É importante que o médico tente ajudar a mudar o curso natural das Cardiopatias Congênitas (CC), identificando-as precocemente, especialmente aquelas que necessitam de tratamento de urgência. Sobre as cardiopatias congênitas, assinale a alternativa CORRETA:
Compartilhar