Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Paciente de 54 anos realizou mamografia que evidenciou imagem nodular espiculada densa, que na USG é irregular, hipoecogênica, com diâmetro AP > T, com sombra. Fez core biopsia, cujo resultado foi “Alterações fibrocísticas da mama”. O radiologista colocou no laudo com “imagem altamente suspeita”. Qual o próximo passo propedêutico?

A
Acompanhamento semestral, o diagnóstico foi de lesão benigna.
B
Manter acompanhamento anual, e comparar as mamografias futuras, havendo modificação nova core biopsia.
C
O diagnóstico histopatológico foi de benignidade, manter acompanhamento com ultrassonografia.
D
Fazer estereotaxia e retirar toda a lesão para estudo histopatológico.
E
A core biopsia é soberana sendo benigna a lesão, acompanhamento clínico.
Mulher com 31 semanas de gestação (G3P2) desenvolveu quadro agudo de cefaleia, náuseas e vômitos. Por ocasião da consulta, queixou-se de mal-estar e informou que a urina apresentava-se escura. Ao exame, a pressão arterial era de 140X80 mmHg, as mucosas estavam ictéricas e havia contrações uterinas. Os batimentos cardiofetais eram de 144 bpm. Qual o diagnóstico mais provável?
Mulher com 18 semanas de gestação veio à consulta pré-natal trazendo resultado de dosagem de glicemia de jejum de 128 mg/dl. Qual a conduta mais adequada?
Mulher de 70 anos apresentou lesão ulcerada com 5 cm de diâmetro na grande curvatura do corpo gástrico. O exame anatomopatológico revelou adenocarcinoma com células em anel de sinete. Exames de estadiamento não demonstraram doença metastática. Avaliação clínica pré-operatória mostrou baixo risco cirúrgico. Qual a conduta mais adequada?
Em relação às neoplasias malignas da glândula tireoide, assinale a alternativa em que as lesões estão listadas em ordem crescente de agressividade:
Compartilhar