Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Hepatologia

Paciente de 70 anos, portador de litíase biliar, apresenta dor abdominal, febre e icterícia. Ao exame, encontra-se confuso e hipotenso, e detecta-se leucocitose com desvio à esquerda, elevação de bilirrubinas, fosfatase alcalina, gamaglutamiltransferase e de transaminases. Com achado ultrassonográfico de dilatação de vias biliares intra e extra-hepáticas, é certo afirmar que:

A
a drenagem biliar por laparotomia deve ser realizada imediatamente.
B
a antibioticoterapia deve cobrir Gram-negativos, anaeróbios, além de S. aureus
C
a presença da pêntade de Reynold sugere abscesso hepático.
D
a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE ou PCRE) deve ser indicada após exames diagnósticos não invasivos.
E
a colangiorressonância não deve ser realizada na presença de insuficiência renal aguda.
Desde a década passada, a Atenção Integral às Doenças Prevalentes da Infância (AIDPI) revelou-se uma estratégia adequada à disposição dos médicos, com um conjunto básico de intervenções baseadas em evidências científicas que permitem prevenir e tratar eficazmente as principais doenças e problemas que afetam a saúde nos primeiros anos de vida. Acerca dessas evidências, julgue o item. O caso de uma criança de dois anos de idade que tosse há três dias, consegue ingerir líquidos e que, ao exame físico, apresenta frequência respiratória de 50 incursões por minuto, sem retrações, estridor ou sibilância não deve ser classificado como pneumonia.
No item subsequente, é apresentada uma situação hipotética acerca das situações clínicas encontradas em ambulatório e emergência pediátricos, seguida de uma assertiva a ser julgada. Uma criança de 2 anos de idade, previamente saudável, apresentou dispneia e sibilância súbitas após crise de tosse ao acordar pela manhã. Uma radiografia do tórax mostrou atelectasia do lobo superior direito. Nessa situação, o diagnóstico clínico mais provável é de aspiração de corpo estranho e a criança deve ser submetida à broncoscopia como medida para confirmar o diagnóstico e proceder à terapêutica.
A vacina contra rotavírus, recentemente inserida no calendário do Programa Nacional de Imunizações, é administrada ao lactente da seguinte forma:
O anaeróbio mais comumente isolado nas peritonites secundárias é:
Compartilhar