Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia Geral

Paciente de 78 anos deu entrada na emergência torporoso, depletado, cianótico e hipotérmico. Familiares relatam que estava internado em outro serviço para tratamento de “problemas da próstata”. Estava em uso irregular de captopril 50 mg 2x/d, metformina 850 mg 3x/d e doxazosina 1 mg/d. Ao exame: PA = 88/50 mmHg, FC = 124 bpm, FR = 38 mprm, T = 35,7°C, Glasgow = 10, SaO2 = 88% (O2 5 l/min.), sonda vesical com grumos, ausculta cardíaca e pulmonar normais, abdome pouco distendido, sem RHA, sem dor ou massas palpáveis e extremidades frias, cianóticas e com livedo reticular em membros inferiores. Qual a abordagem inicial mais apropriada nesse momento?

A
Ressuscitação volêmica, de preferência inicialmente com coloide depois de garantir suporte ventilatório (invasivo ou não invasivo), e início precoce de antibioticoterapia de amplo espectro seguida de acesso venoso central para monitorização da saturação venosa central de O2 (SVcO2).
B
Reposição volêmica com cautela devido à idade do paciente e ao risco de congestão pulmonar e exames de laboratório para auxiliarem na escolha e início da terapia antimicrobiana.
C
Ventilação e oxigenação e acesso venoso central para infundir volume baseado na PVC.
D
Suporte ventilatório, ressuscitação com volume, antibioticoterapia empírica e monitorização.
E
Oxigênio, monitorização contínua e preferencialmente 2 acessos venosos periféricos calibrosos para infusão de volume até restauração da pressão arterial média (> 70 mmHg).
Um paciente do sexo masculino de 68 anos procurou o ambulatório de cirurgia vascular com queixa de claudicação intermitente em membro inferior direito ao deambular aproximadamente 250 metros. Como antecedentes o paciente apresentava hipertensão arterial sistêmica controlada com duas classes de anti-hipertensivos, tabagismo de 1 maço/dia por 40 anos e negava diabetes mellitus. Ao exame físico vascular: membro inferior esquerdo: pulso femoral 2+/4; pulso poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; membro inferior direito: pulsos femoral; poplíteo; tibial posterior e pedioso não palpáveis; boa perfusão de ambos os membros e sem gradiente térmico. Segundo a classificação de Fontaine da doença aterosclerótica obstrutiva periférica, qual o estágio da doença e qual é o tratamento.
Mulher de 68 anos, 70 kg, será submetida a artroplastia total de quadril. Não tem doenças conhecidas. Hemograma, glicemia e creatinina séricas normais. Escolhida enoxaparina para profilaxia de tromboembolismo venoso. A dose e duração desse esquema são, respectivamente:
São admitidos dois pacientes no pronto socorro com hipótese de intoxicação exógena, com as seguintes características clínicas: PACIENTE I: transpiração intensa; PA = 170 X 100 mmHg; pulso = 120 bpm; agitação; ressecamento de mucosas; T = 38 °C e episódio convulsivo. PACIENTE II: alteração do estado mental; respiração superficial; pupilas mióticas; pulso = 50 bpm e PA = 100 x 50 mmHg. Das abaixos, as drogas mais prováveis, como etiologia, são, respectivamente:
Homem de 22 anos, vítima de trauma automobilístico é trazido ao hospital pelo resgate. Após a avaliação e estabilização iniciais, detecta-se desalinhamento ao nível da coxa no membro inferior direito e ausência de pulsos distais neste membro. Escolha a alternativa com a sequência recomendada das condutas abaixo mencionadas:
Compartilhar