Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Paciente de 80 anos, com arterioesclerose generalizada, interna com quadro de insuficiência renal aguda (IRA), 4 dias após realização de aortografia. Ao exame físico, notava-se livedo reticularis em membros inferiores, dedos dos pés azulados, hipocomplementenemia e eosinofilúria. O diagnóstico mais provável é:

A
IRA por aneurisma dissecante de aorta.
B
IRA pós-contraste.
C
IRA por nefrite intersticial.
D
IRA por glomerulonefrite aguda crescêntica.
E
IRA ateroembólica.
Paciente de 20 anos, sexo masculino, assintomático, procura o médico do PSF, pois realizou exames de triagem sorológica, os quais apresentaram os seguintes resultados: Anti-HBsAg positivo; Anti-HBc IgG e IgM negativos; HBsAg negativo; VDRL reagente 1:128 e FTA-ABs reagente. Não sabe informar sobre seu passado vacinal. O diagnóstico mais provável para o caso é:
Ainda com relação ao caso anterior, qual a melhor conduta a ser tomada?
Laércio, 1 ano de idade, regularmente vacinado, iniciou, à noite, quadro súbito de coriza leve e rouquidão. Posteriormente, evoluiu com tosse metálica, agitação, inspiração ruidosa e dificuldade respiratória, porém, sem febre. Atualmente, podemos ter como hipótese mais provável:
Jonas tem 32 anos, trabalha em caldeira de navio e encontra-se em auxílio doença pelo INSS. Sua perícia de reavaliação está agendada para daqui à dois meses. Procura atendimento na UPA queixando-se de dor intensa em ambos os joelhos. Nesta ocasião o exame articular foi normal. A utilização de anti-inflamatórios e analgésicos (dipirona e tramadol) não trouxe alívio da dor. Encaminhado ao ambulatório realizou investigação laboratorial e radiológica sem evidências de alterações mantendo exame clínico normal. O diagnóstico mais provável para Jonas é:
Compartilhar