Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Cirurgia do Aparelho Digestivo

Paciente deu entrada no pronto-socorro vítima de colisão, apresentando choque hipovolêmico, pH 7,19, trauma abdominal fechado, durante ato cirúrgico evidenciou-se lesão estrelada extensa em lobo hepático direito, lesão esplênica grau III / IV e lesão duodenal em segunda e terceira porção de 4 cm, sangramento difuso. Qual a melhor tática cirúrgica a ser empregada?

A
Hepatectomia direita, esplenorrafia, diverticulização duodenal.
B
Hepatorrafia, tamponamento com compressas, esplenectomia, duodenorrafia.
C
Ligadura artéria hepática, auto implante esplênico, exclusão pilórica.
D
Exclusão vascular hepática, esplenectomia parcial, gastrectomia subtotal.
E
Drenagem hepática, esplenorrafia, duodenopancreatectomia.
Durante consulta regular de acompanhamento em uma unidade básica de saúde a ilha de uma paciente de 78 anos, analfabeta, queixa-se de que sua mãe vem apresentando problemas de memória, com início há três meses. A ilha nega febre, alterações do ciclo sono-vigília, incontinência urinária ou viagens recentes. A paciente informa que é portadora de hipertensão arterial e diabetes melitus tipo 2 não insulino-dependente, fazendo uso de captopril e metformina em doses e intervalos adequados, conforme controles de níveis de pressão arterial e laboratoriais recentes. Nega história familial conhecida de distúrbios neurológicos ou demenciais. Nega tremor ou outros sintomas sugestivos de parkinsonismo, nega traumas ou quedas recentes. Dentre as condutas abaixo, qual deinitivamente NÃO deveria ser um dos passos diagnósticos frente à queixa de memória da paciente ?
Homem será submetido a uma cirurgia de língua por câncer (Glossectomia), o que impedirá de deglutir por 1 mês. Qual via de acesso para suporte nutricional deve ser usada nesse contexto?
Considere as assertivas abaixo sobre encefalopatia hepática. I - Asterixe e retardo psicomotor são manifestações características da doença, mas sua ausência não exclui o diagnóstico. II - Na insuficiência hepática crônica, a encefalopatia hepática pode ser subclínica, havendo apenas leve alteração de cognição. III - Sangramento gastrointestinal, ingestão excessiva de proteínas, constipação, desequilíbrios hidroeletrolíticos e infecções são fatores precipitantes da doença. Quais são corretas?
Uma criança de três anos de idade evolui com quadro de dispneia aos esforços. O exame físico revela ritmo cardíaco regular, taquicárdico (FC: 120 bat/min), desdobramento fixo da segunda bulha e sopro mesossistólico ejetivo (+/++/4+) em foco pulmonar. O ECG evidencia sobrecarga de câmaras direitas e o RX de tórax mostra presença de cardiomegalia (++/4+) e sinais de hiperfluxo pulmonar. Nesse caso, qual é o provável diagnóstico?
Compartilhar