Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Paciente diabética, de 54 anos, está em uso de sulfonilureia e metformina; inapetente há quatro dias, é levada a atendimento hospitalar com quadro clínico de dor de cabeça, confusão, tontura, fraqueza, sudorese, taquicardia e tremor. O diagnóstico mais provável é:

A
cetoacidose.
B
hipoglicemia.
C
descompensação hiperglicêmica aguda.
D
síndrome hiperosmolar não-cetótica.
E
normoglicemia.
Gestante deu entrada na maternidade em trabalho de parto, com idade gestacional de 36s2d. Teve parto vaginal, sem complicações. Apgar 7/8, pesando 2450g. O pediatra verificou um pequeno aumento de frequência respiratória e acrocianose discreta que se normalizaram em alguns minutos. Qual a conduta mais indicada a ser seguida?
Paciente com cefaleia em região frontal e maxilar, com sensação de peso ao baixar a cabeça, voz anasalada, rinorreia de aspecto purulento, febre, apatia, tosse que piora ao deitar. O diagnóstico mais provável diante do quadro clínico apresentado é:
Um lactente de 6 meses de idade apresenta diarreia aquosa e vômitos há 48 horas (ao exame, sem sinais de desidratação). O plantonista prescreveu: - Manutenção do aleitamento materno - Sais de reidratação oral: 100-200 ml após perdas - Metoclopramidas: 7 gotas após cada episódio de vômito - Antiespasmódico: 7 gotas de 8/8 horas - Sulfametoxazo: trimotoprim: 5ml de 12/12 horas Quantos erros você detecta nesta prescrição:
Paciente feminina, 35 anos de idade, casada, gestante, chega à emergência obstétrica com queixas de sangramento vaginal e dor pélvica. Refere estar em acompanhamento pré-natal. Ecografia obstétrica registrada na carteira da gestante, realizada há 5 dias, refere gestação única, com idade gestacional de 12 semanas. Ao exame físico, apresenta sangramento vaginal e colo aberto e sem presença de batimentos cardíacos fetais (BCFs). Em relação ao caso clínico, qual o principal diagnóstico e a conduta mais adequada?
Compartilhar