Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Paciente diabética, de 54 anos, está em uso de sulfonilureia e metformina; inapetente há quatro dias, é levada a atendimento hospitalar com quadro clínico de dor de cabeça, confusão, tontura, fraqueza, sudorese, taquicardia e tremor. O diagnóstico mais provável é:

A
cetoacidose.
B
hipoglicemia.
C
descompensação hiperglicêmica aguda.
D
síndrome hiperosmolar não-cetótica.
E
normoglicemia.
Assinale a alternativa correta em relação ao perímetro cefálico (PC).
A tuberculose ainda é uma doença muito prevalente em nosso meio. Em relação a sua prevenção, podemos afirmar que:
Mulher de 20 anos com história de amenorreia de 7 semanas, bHCG 400 m UI na 5ª semana, deu entrada na maternidade do HUGG com quadro de perda sanguinea vaginal de pequena monta associada a dor em baixo ventre. Foi solicitado ultrassom transvaginal que mostrou endométrio espesso com cerca de 12 mm associado a presença de material amorfo em anexo direito com cerca de 20 mm apresentando intenso fluxo sanguineo ao Doppler. Na internação o bHCG sanguineo foi 300 m UI. Seu diagnóstico provável e conduta mais apropriada:
Sobre fisiologia genital assinale o grupo de assertivas totalmente incorretas: 1- O ovário responde ao GnRH de forma seqüencial e definida para produzir o crescimento folicular, ovulação e formação do corpo lúteo. 2- Existe vários níveis de “feed-back” para o hipotálamo que são conhecidos como de alças longas, curtas e ultracurtas. 3- A secreção pulsátil contínua de GnRH é necessária devido à sua meia vida (clivagem proteolítica em até 4 minutos) 4- As endorfinas estimulam a secreção de GnRH, hipotalâmico e, portanto, a secreção de FSH e LH 5- O GnRH controla a secreção do FSH, LH e PRL.
Compartilhar