Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Paciente do sexo feminino, 35 anos, branca, deu entrada no pronto socorro com quadro de emagrecimento, intolerância ao calor, palpitações, insônia, tremores e sudorese há 4 meses. Nega patologias prévias, uso de medicações, tabagismo e alcoolismo. Ao exame físico, paciente em bom estado geral, exoftalmia discreta, bócio volumoso, IMC: 19,9kg/m², circunferência abdominal: 70cm, PA: 150x60mmHg, FC: 120bpm, auscultas respiratória e cardíaca sem alterações. Exames laboratoriais: TSH: 0,01 (0,35 – 4,5), T4l: 6,5 (0,7 – 1,8), TRAb: +, Anti-TPO: +, hemograma, glicemia, eletrólitos e função renal dentro da normalidade. Assinale a alternativa correta, quanto ao diagnóstico etiológico desse caso.

A
Hipertireoidismo primário por doença de Plummer.
B
Tireoidite de Hashimoto.
C
Hipertireoidismo primário por doença de Basedow-Graves.
D
Hipotireoidismo secundário.
E
Tireoidite subaguda.
Com o uso prolongado de corticosteroides, são efeitos colaterais esperados, exceto:
A respeito de doenças sexualmente transmissíveis e de corrimento vaginal, julgue o item que se segue. A vaginose bacteriana é uma das causas mais frequentes de corrimento vaginal com odor desagradável. O teste de Whift (odor lembrando cheiro de peixe após adição de KOH a 10%) e a presença de clue cells no exame microscópico são critérios diagnósticos importantes. O tratamento de escolha é o metronidazol oral e tópico.
Em relação ao sangramento uterino disfuncional, está correto afirmar: I - o uso de análogos do GnRH reduz o sangramento uterino disfuncional, mas não é aceitável devido aos seus efeitos colaterais. II - o ácido tranexâmico parece ser a medicação que mais reduz o sangramento uterino disfuncional. III - hiperplasia de endométrio, síndrome dos ovários policísticos e pólipo endometrial são causas de sangramento uterino disfuncional.
Em um paciente com queimadura de face e tórax, sofridas no decorrer de um incêndio, e que apresenta chamuscamento de vibrissas nasais, suspeitou-se de lesão inalatória por fumaça. A broncoscopia solicitada revelou apenas hiperemia das vias aéreas e presença de fuligem infraglótica. A gasometria mostrou PaO2 = 90 mmHg e PaCO2 = 30 mmHg. A conduta inicial, nesse caso, deve incluir:
Compartilhar