Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Hematologia

Nefrologia

Paciente do sexo feminino, 55 anos de idade, com antecedente de diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica, além de obesidade (90 kg e altura 1,60 m) e dislipidemia, em tratamento médico irregular, sem controle clínico adequado, foi encaminhada para o ambulatório de especialidade para acompanhamento devido à elevação das escórias nitrogenadas. Após a avaliação inicial, foi constatada creatinina 2,5 mg, ureia de 95 mg, colesterol 320 mg, HDL 30 mg, triglicérides 289 mg, ácido úrico 8,0/glicemia, 180 mg/glicemia pós-prandial 215 mg/cálcio, 8,0/fósforo, 6,5 mg/Hb, 11 g/Ht 33%/USG com rins de tamanho e ecogenicidade dentro do normal. Fundo de olho com retinopatia proliferativa grau II. Considerou-se a paciente como nefropata crônica secundária à nefropatia diabética e hipertensiva. Sobre a insuficiência renal crônica, é correto afirmar que:

A
o melhor parâmetro diagnóstico é a creatinina sérica.
B
todo nefropata crônico tem rins de dimensões diminuídas.
C
o controle pressórico e glicêmico pode influenciar na progressão da nefropatia crônica.
D
a principal causa de mortalidade no nefropata crônico são as infecções.
E
a anemia megaloblástica é a mais característica neste grupo de pacientes.
Em relação à interpretação do hemograma, assinale a alternativa correta quanto ao próximo exame a ser solicitado na investigação deste paciente. Hemograma: Hemácias (milhões/mm3): 1 600 000/mm³ (4,5 – 6,0) Htc (%) = 20 (42-54), Hb (g/dL) = 5,8 (13-17) HCM (pg) = 36 (27-32), CHCM(g/dL) = 29 (33-37), VCM (mm³) = 125 (80-98) Reticulócitos: diminuídos Leucócitos (por mm3): 3 000/mm³ (3 800 – 11 000) B = 4%, S = 66%, E = 4%, Ba = 0, L = 20%, M = 6% Núcleo dos Neutrófilos hipersegmentados Macrocitose +++ Poiquilocitose +++ Plaquetas (por mm3): 110 000 (150-400) Bilirrubinas: BT: 2,3 mg% BI: 1,7 mg%
Paciente masculino, 62 anos, tabagista e tossidor crônico, apresenta há três dias aumento da secreção pulmonar, que se apresenta espessa e amarelada, febre alta, chiado e dispneia. Ao exame, apresenta-se em mau estado geral, taquipneico, T = 38 ºC, cianose de extremidades ++/4; Extremidades quentes, FC = 114 bat/min; PA = 9 x 6 mmHg. Aparelho Respiratório: Estertores creptantes em bases, roncos e sibilos. Aparelho Cardiovascular: BRNF sem sopros. MMII: Sem edemas. Gasometria arterial em ar ambiente: pH = 7,22; pCO2 = 38 mmHg; pO2 = 68 mmHg; Sat O2 = 82%; HCO3 = 10 mEq/L e BE = –10 mEq/L Em relação à gasometria, pode-se afirmar:
Assinale a alternativa correta, em relação à esclerose múltipla.
Os marcadores tumorais CA-125, alfa-feto proteína e gonadotrofina estão habitualmente associados às seguintes neoplasias ovarianas, pela ordem:
Compartilhar