Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Reumatologia

Paciente do sexo feminino, de 33 anos, há um mês apresenta edema progressivo de membros inferiores e face. Na avaliação feita no CAIS, foram observadas, no exame de urina, hematúria ++/4, leucocitúria +/4 e proteinúria +++/4. A investigação laboratorial de causa secundária mais importante para o caso é:

A
urocultura
B
antiestreptolisina
C
glicemia de jejum
D
fator antinúcleo
O diagnóstico de asfixia neonatal segundo a Academia Americana de Pediatria e Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia baseia-se nos seguintes fatores, exceto:
Adolescente chega à emergência com queixa de quadro inicial diagnosticado como virose, entretanto, o quadro evoluiu há 3 semanas para tosse irritativa persistente e secreção mucoide não acompanhada de febre. O Pediatra fez sua hipótese diagnóstica, solicitou RX que evidenciou infiltrado intersticial e hemograma com discreta leucocitose e prescreveu antibiótico em esquema domiciliar para cobertura do provável agente etiológico:
Um menino de dois anos de idade teve uma convulsão febril vem ao seu consultório um dia após ter sido atendido no serviço de emergência. Ele está afebril no momento, ativo. Sua mãe informa que ele está tomando antibióticos para uma otite diagnosticada na véspera. Ela deseja saber o que esperar no futuro a respeito de sua situação neurológica. Você diz para ela:
Um recém-nascido a termo nasce por via vaginal. Imediatamente após o nascimento, observa-se que a criança apresenta um abdome escavado, cianose e sofrimento respiratório. As bulhas cardíacas são ouvidas no lado direito do tórax e os ruídos respiratórios parecem estar diminuídos do lado esquerdo. O próximo passo na ressuscitação desta criança é:
Compartilhar