Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Nefrologia

Paciente do sexo masculino, 27 anos, branco, com história de edema progressivo há 2 meses. Ao exame clínico, normotenso em anasarca, sem outras alterações. Exames laboratoriais: Creatinina normal Urina I - proteinúria 4,6 g/l Hemácia > 100 p/campo com dismorfismo eritrocitário presente Leucócitos 8 p/campo Proteinúria de 24 horas = 7g/24 horas Albumina sérica = 1,9 g/l Sorologia: hepatite B, HIV, LED (-) Hipótese diagnóstica:

A
GNDA
B
lesões mínimas glomerulares
C
síndrome nefrótica idiopática provável membrana proliferativa
D
glomerulopatia membranosa
E
síndrome nefrítica aguda
Menino de 2 anos previamente hígido, foi trazido à emergência pediátrica por apresentar uma crise convulsiva tônico-clônica generalizada em vigência de febre. Quando chegou, não estava mais convulsionando. A mãe refere que o filho estava com quadro de IVAS e com febre há 1 dia. Na história familiar, o pai teve episódio de crise convulsiva febril na infância. Em relação à conduta a ser seguida, avalie as seguintes assertivas: I - Administrar antitérmico e tranquilizar a mãe quanto à evolução benigna do caso. II - Administrar Diazepan via retal para evitar novas crises. III - Manter o paciente em observação por 24 horas e solicitar eletroencefalograma. Quais estão CORRETAS?
Em que cirurgia, das alternativas mencionadas abaixo, está indicada antibioticoprofilaxia?
Qual o achado tomográfico que impede a ressecção do câncer de pâncreas?
O delírio pós-operatório ocorre numa proporção de 11 a 25 %, com maiores índices registrados em idosos. Entre os diagnósticos abaixo, o que NÃO é fator causal do delírio:
Compartilhar