Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

Paciente, dois anos de idade, é encaminhado ao ambulatório devido ao diagnóstico de tuberculose na tia paterna. A criança recebeu a vacina BCG ao nascer. Na investigação, foi solicitado raio X de tórax, que foi normal e PPD, cujo resultado foi de 3 mm. Com relação à interpretação do teste tuberculínico, é incorreto afirmar:

A
O teste deve ser interpretado como sinal de alergia aos componentes dos bacilos tuberculínicos.
B
Um teste positivo pode significar contato prévio com o bacilo virulento ou atenuado (vacinal).
C
Um resultado positivo de 3 mm já indica tratamento para tuberculose em atividade.
D
Devido à idade e ao contágio familiar, a paciente deve ser acompanhada periodicamente.
E
é universalmente aceito, o efeito protetor da isoniazida como medicação profilática.
Pré-escolar de 1 ano e oito meses, 9400 g, apresenta diarreia há 2 meses com perda de 1600 g, tendo sido amamentado exclusivamente ao seio até o 5º mês de vida. As fezes são líquidas, 3 a 4 episódios por dia, a criança se alimenta normalmente, tem moderada distensão abdominal, e é nítida a diminuição da massa muscular. Endoscopia com biópsia jejunal demonstrou padrão de atrofia vilositária e hipertrofia de criptas. A medida mais adequada para o esclarecimento diagnóstico do quadro histopatológico referido é:
Considerando a importância da avaliação clínica e laboratorial pré-operatória no preparo de pacientes para operações eletivas, julgue o item a seguir. A dosagem de glicemia de jejum é mandatória em pacientes com colelitíase, em decorrência da elevada prevalência de intolerância à glicose nesses pacientes.
homem de 69 anos, hipertenso, diabético e sem antecedentes psiquiátricos, apresenta no segundo dia após internação por broncopneumonia, quadro de inquietação, alucinações visuais, desorientação temporoespacial, discurso incoerente, déficit de memória de fixação e ideação delirante de cunho paranoide. O quadro oscila durante o dia com períodos de normalidade e de piora, geralmente à noite. O diagnóstico é:
Criança de 10 anos de idade apresentou falta de ar, chiado no peito, vômitos e eritema generalizado após ingestão de camarão. Exame físico: PA 70 x 30 mmHg, T 36,8°C, pulsos fracos e perfusão diminuída com rash eritematoso difuso. O diagnóstico e tratamento são:
Compartilhar