Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Paciente feminina, 46 anos, inicia em casa com diarreia e evolui para confusão mental. É trazida ao pronto-socorro. Está confusa (Glasgow = 14), febril (39ºC), FC = 148 bpm, PA = 80/40. É ressuscitada com volume e vasopressores. Cateter de artéria pulmonar antes do volume e vasopressores com PVC = 8, PAP = 28, PAPO = 12, DC = 9,8, IC = 4,9, IRVS = 600. (DC = débito cardíaco, IC = índice cardíaco, IRVS = índice de resistência vascular sistêmica, PVC = pressão venosa central, PAPO = pressão da artéria pulmonar ocluída, PAP = pressão média da artéria pulmonar) O diagnóstico diferencial do choque inclui:

A
choque séptico e crise tireotóxica.
B
choque hipovolêmico e crise tireotóxica.
C
insuficiência adrenal e choque cardiogênico.
D
tromboembolismo de pulmão e choque cardiogênico.
E
hipovolemia e choque séptico.
Ao avaliarmos a audiometria tonal aérea de um trabalhador, poderemos considerá-la como sugestiva de perda auditiva induzida por ruído quando encontramos:
Qual é o tumor mais comum do pâncreas e a sua localização mais frequente?
O risco pré-operatório em cirurgias eletivas pode ser predito por alterações clínicas de uma determinada população. A classificação da Sociedade Americana de Anestesiologia (ASA) criou uma classificação que se baseia no exame clínico. Quanto a esta classificação é correto afirmar que:
Dentre as patologias relacionadas abaixo quais estão relacionadas com risco aumentado de trombose venosa profunda?
Compartilhar