Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Paciente feminina, 46 anos, proveniente de Pedro Rosário-MA, chega ao ambulatório. Refere diagnóstico de enxaqueca crônica e nega outras patologias conhecidas. Queixa de cefaleia unilateral pulsátil, retro-orbitária, intensa, que lhe acorda à noite e dura cerca de 1 hora, sudorese fria; refere cerca de três crises ao dia, durante cerca de dois meses, todos os anos, há 2 anos. Refere alcoolismo crônico. Ao exame, ptose palpebral, miose e congestão ocular unilateral e ipsilateral ao local da dor; sem outras alterações ao exame físico. Qual o provável diagnóstico e conduta adequada?

A
“Cluster haedache”, oxigenioterapia a 100% na crise e carbonato de lítio a longo prazo.
B
Enxaqueca sem aura, sumatriptano na crise e propranolol a longo prazo.
C
Cefaleia tensional; AINE na crise e amitriptilina a longo prazo.
D
Tumor retro-orbitário, dexametasona VO e encaminhar para neurocirurgia.
E
Nenhuma das opções acima.
Em relação ao uso de antibióticos em cirurgia, são apresentadas as situações clínicas abaixo: I. Apendicite aguda flegmonosa. II. Perfuração traumática de cólon com 2h de evolução. III. Colecistite aguda em paciente jovem previamente hígido. Qual das situações NÃO requer antibioticoterapia após a realização de cirurgia adequada?
Sobre Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, considere as afirmativas abaixo: I. É um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. II. A prevalência é semelhante em diferentes regiões, o que indica que o transtorno é secundário a fatores culturais (as práticas de determinada sociedade), o modo como os pais educam os filhos ou resultado de conflitos psicológicos. III. São consideradas causas: corante amarelo; aspartame; luz artificial; deficiência hormonal (principalmente da tireoide) e deficiências vitamínicas na dieta. IV. O tratamento deve ser multimodal, ou seja, uma combinação de medicamentos, orientação aos pais e professores, além de técnicas específicas que são ensinadas ao portador. Quais estão corretas?
Menino, 10 anos, apresenta astenia, mau desempenho escolar, insônia há 03 meses. Exame físico: mucosas hipocoradas RCR 2T, BNF, FC 106 bpm. Considerando a hipótese diagnóstica, a alteração mais provável no hemograma é:
Das condições abaixo, qual delas NÃO está relacionada à deficiência de vitamina K e ao aumento do risco hemorrágico:
Compartilhar