Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ginecologia

Paciente feminina de 22 anos, nulípara, vem à consulta com queixas de corrimento vaginal homogêneo, amarelado e odor fétido. Nega sintomas inflamatórios, como dispareunia, irritação vulvar e disúria. No exame especular, encontra-se leucorreia com aspecto cremoso, aderente as paredes vaginais e colo e, ao exame microscópico à fresco, visualize-se clue cells. Em relação ao quadro ginecológico, marque a alternativa correta.

A
O diagnóstico não está associado a salpingites, peritonites, endometrites pós-parto ou cesariana e infecções após procedimentos cirúrgicos ginecológicos.
B
É uma síndrome clínica resultante de um desequilíbrio da flora vaginal normal com aumento na concentração de lactobacilos e diminuição na concentração de bactérias anaeróbias.
C
O tratamento de rotina do parceiro sexual é recomendado, tendo em vista que há diferenças nos índices de recidiva.
D
O principal objetivo do tratamento é aliviar os sinais e sintomas da paciente, não sendo necessário o tratamento de pacientes assintomáticas, exceto em gestantes.
E
O tratamento de escolha em gestantes são os ozólicos tópicos.
O diagnóstico mais provável do caso acima é:
Em relação à hiperplasia prostática benigna (HPB) qual alternativa está correta?
A insuficiência venosa crônica é uma das afecções mais prevalentes no mundo. A estratificação do grau da doença é importante para a orientação do tratamento. A classificação mais difundida e recomendada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular é a CEAP (clínica, etiológica, anatômica, fisiopatológica). Segundo esta classificação, uma mulher portadora de telangiectasias, veias varicosas e edema é classificada:
Paciente feminina, 25 anos, apresenta diagnóstico de doença de Crohn há cerca de 1 ano, com uso de mesalazina 2 g/dia. Em qual destas situações abaixo o acompanhamento clínico desta paciente pode ser efetivo e seguro?
Compartilhar