Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Hematologia

Mulher de 60 anos de idade está desanimada, apática e anorética. Refere inchação nas pernas e anemia. Há 15 dias vem tomando medicação para depressão sem melhoras. Fez uso de sulfato ferroso para anemia e também sem resultado. Faz uso de laxativo devido à constipação intestinal. Ao exame físico: pele fria, amarelada e ressecada, rarefação da metade distal das sobrancelhas, descorada ++/4+. Tireoide indolor e com aumento de volume. FC de 60 bpm, PA 150 X 100 mmHg e edema duro pré-tibial. Reflexos profundos diminuídos. Os exames laboratoriais mostram anemia normocítica e normocrômica, colesterol de 300 mg%. T4 livre de 0,4 ng/dl (0,7 - 1,8); TSH de 23,6 mcUI/ml (0,3 - 5) e anti-TPO de 800 UI/I. Em relação a hipótese diagnóstica mais provável, qual a informação está INCORRETA:

A
É doença de caráter auto-imune.
B
Pode estar associada a vitiligo e diabetes melito tipo 1.
C
Drogas associadas: amiodarona e lítio.
D
O depósito de glicosaminoglicanos explica o edema.
E
O derrame pericárdico é encontrado raramente.
Em relação a um paciente com olho vermelho, são apresentadas as seguintes assertivas: I. A iridociclite apresenta-se com ardência, prurido e secreção mucoide e ocorre, na maioria das vezes, em pacientes com história de exposição recente à substância alergênica; II. A conjuntivite bacteriana apresenta secreção mucopurulenta, conjuntivas lisas e inflamadas, com pontos vermelhos e sem adenopatia pré-auricular; III. A conjuntivite viral apresenta secreção mais fluida que na bacteriana, folículos translúcidos circundados por vasos sanguíneos e adenopatia pré-auricular. Qual é a alternativa CORRETA?
A avaliação do Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM) de uma criança no primeiro mês de vida deve conter os dados relacionados à postura, tono, força muscular e movimentação; à observação da reação da criança aos estímulos sonoros e luminosos, do choro, da amamentação e à pesquisa dos reflexos transitórios de um recém-nascido de 15 dias de vida, nascido de apresentação cefálica, quando examinado em decúbito dorsal, ao tentar retificar os membros superiores e inferiores e abrir as mãos, espera-se:
Criança de cinco meses, sexo masculino, é levada para consulta de puericultura de rotina, com mãe muito preocupada com o desenvolvimento de seu filho que não está com sustento cervical completo e que o filho da vizinha de quatro meses já está todo “durinho”. O pediatra então colhe a história da criança que mostra uma gestação com seis consultas, sorologias da gestante normais e que, com 24 semanas de gestação, a gestação tornou-se de alto risco devido à hipertensão arterial da gestante e que, com 28 semanas, foi necessária a realização de cesariana devido ao descontrole da hipertensão arterial. No relatório da maternidade, mostrou que o RN ficou em ventilação mecânica por quatro dias, recebeu surfactante, teve sepse presumida tratada por 10 dias, avaliação de retina normal e ultrassom transfontanelar normal. No exame do pediatra da puericultura, foi notado um PC: 38 cm, sustento cervical incompleto, sorriso social, tônus adequado, reflexos primitivos todos presentes e criança acompanhava com olhar estímulo de luz nas quatro direções. Frente ao não sustento cervical nessa criança de cinco meses, qual a melhor conduta?
Paciente adulto jovem com lacrimejamento bilateral tipo aquoso, sensação de corpo estranho nos olhos. Relata casos semelhantes em seu ambiente de trabalho. Qual o mais provável diagnóstico e sua etiologia?
Compartilhar