Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Nefrologia

Paciente masculino, 60 anos, diabético há 20 anos. Avaliado por você no PSF, porque se mudou para Itajaí por ser um local de clima ameno e livre de desastres naturais. Traz exames que realizou 1 ano atrás: (creatinina: 1,0 mg%, Parcial de Urina normal, Proteinúria de 24 horas: 140 mg/24h, Hemograma normal, colesterol e triglicerídeos altos e glicemia de jejum 150 mg%). No exame físico, você observa PA 180/110 mmHg, edema ++/4 em Membros Inferiores (MMII) e sopro na ausculta do abdome e flanco direito. Os pulsos em MMII estão diminuídos à direita. Os exames que você pediu mostram: creatinina: 2,3 mg%, Parcial de Urina normal, Hemograma com Hematócrito: 33% Leucograma normal. O paciente faz uso de captopril, hidroclorotiazida, e medicação para dislipidemia. Usa AAS por indicação do seu cardiologista. Em relação ao relato acima, qual a alternativa mais correta:

A
trata-se de provável nefropatia diabética na fase inicial porque ainda não tem proteinúria.
B
não podemos atribuir a insuficiência renal à nefropatia diabética.
C
a conduta mais apropriada seria realizar a medida da microalbuminúria na investigação da disfunção renal apresentada.
D
o mais provável é um erro laboratorial, uma vez que o Parcial de Urina não está compatível com a proteinúria medida nas 24 horas nos primeiros exames.
E
o tempo de evolução do Diabetes fala contra o diagnóstico de nefropatia diabética.
A estratégia cirúrgica prevista para torção testicular de até 4 horas de evolução é distorcer e:
Marque a alternativa com a hipótese diagnóstica mais provável para o caso descrito abaixo: O paciente é um homem de 58 anos que está internado em um hospital geral para uma cirurgia de hérnia inguinal. Encontra-se em bom estado geral. O exame físico é normal, exceto por alguns nódulos em região cervical, 1 x 1 cm, indolores, não aderidos a planos profundos. O Ht: 42%; plaquetas: 335.000/mm³; leucócitos: 50.000/mm³; granulócitos: 4%; monócitos: 1%; linfócitos: 95%.
O aneurisma de aorta abdominal:
De acordo com os critérios da American Society of Anesthesiologist (ASA) podemos classificar os pacientes em cinco tipos. Uma paciente portadora de colelitíase e insuficiência cardíaca congestiva grave com dispneia a pequenos esforços e ortopneia é classificada como sendo:
Compartilhar