Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Infectologia

Paciente masculino, 77 anos, nascido e procedente de Curitiba, admitido com dor abdominal em baixo ventre, difusa, de início há 3 dias, de moderada intensidade, contínua, associada à calafrios. CHV- Nega tabagismo. Interrompeu etilismo há 30 anos. Natação 5 vezes por semana. Medicamentos: Antiinflamatórios para coluna. Exame Físico - Bom estado, lúcido, corado, hidratado, febril. CPP livres. Abdome plano, renitente, doloroso à palpação na porção inferior, discretamente distendido e timpânico. Ruídos hidroaéreos discretamente diminuídos. Hemograma com VG 45%, Leucócitos de 15.500. Bastões 10%. Radiografia com pneumoperitônio extenso sob o diafragma à esquerda. Durante a vídeo-laparoscopia evidenciou-se líquido purulento na cavidade abdominal. Baseado nessas informações as hipóteses diagnósticas mais prováveis são:

A
Úlcera péptica perfurada, estenose hipertrófica de piloro e Trombose mesentérica.
B
Pancreatite aguda, apendicite aguda e Gastroenterite.
C
Trombose mesentérica, Cirrose hepática e Retocolite ulcerativa perfurada.
D
Doença diverticular do sigmoide perfurada, apendicite aguda e diverticulo de Meckel perfurado.
E
Colecistite aguda gangrenada e perfurada, neoplasia de cólon perfurado e pielonefrite aguda com fístula para cavidade abdominal.
Um paciente do sexo masculino, 25 anos, comparece ao ambulatório com queixa de dor lombar, bilateral, com irradiação para raiz das coxas, de início há quatro meses. Refere que acorda durante a noite pela dor e, quando caminha, a dor melhora. Qual a principal hipótese diagnóstica para esse caso?
Uma paciente de 30 anos apresenta descarga mamilar unilateral e uniductal. Teve seu último parto há três anos e está em uso de DIU (dispositivo intrauterino). Ausência de lesão palpável. Foi realizada coleta de secreção por compressão e confeccionados esfregaços citopatológicos para avaliação diagnóstica. Os esfregaços mostravam grande número de células espumosas (foamy cells), ausência de hemácias e poucas células ductais isoladas ou em pequenos agrupamentos e algumas células bipolares (mioepiteliais), com boa coesão, núcleos uniformes e sem atipias. Nesse caso, qual o diagnóstico mais provável?
Em doente politraumatizado, com fratura de face, não deve ser considerado como prioridade:
Um lactente de 15 meses apresenta quadro recorrente de tosse com predomínio noturno, sibilância e desconforto respiratório. Nesse caso, qual achado clínico associado pode ser sugestivo de asma?
Compartilhar