Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Paciente masculino, de 51 anos apresenta-se ao pronto-socorro relatando um episódio de hematêmese há 2 horas, com aproximadamente 200 ml de volume. Nega melena. Nega doença péptica ou uso de anti-inflamatórios não esteroides. Nega etilismo. Ao exame clínico apresenta-se consciente, com pressão arterial 110/68 mmHg, pulso 115 bpm, frequência respiratória 18 mrm, hipocorado, sem sinais de irritação peritoneal. A respeito do caso apresentado assinale a alternativa CORRETA:

A
O paciente não poderia apresentar-se com hematoquezia.
B
A causa mais provável do sangramento é neoplasia gástrica.
C
A primeira conduta é providenciar endoscopia digestiva alta.
D
O uso de inibidores de bomba de prótons deve ser iniciado antes da confirmação diagnóstica.
E
Após iniciado o tratamento, a endoscopia digestiva deve ser realizada em até 48 horas.
Uma adolescente de 15 anos apresenta episódios intermitentes de cefaléia há três anos. A dor é hemicrania, ora direita ora esquerda, tipo latejante, de moderada a forte intensidade, associada a náuseas, vômitos, fonofobia e fotofobia. Precedendo as crises, ela refere parestesias em face e mãos, associadas a escotomas cintilantes. As crises duram em média cinco horas e melhoram com uso de paracetamol. O exame neurológico é normal. As crises ocorrem duas vezes por mês, próximo ao período de provas escolares. O diagnóstico, nesse caso, é:
Como consequência de estímulos nas glândulas sebáceas, a dermatite seborréica pode ocorrer em pacientes que sofrem da:
Um paciente é admitido no serviço de atendimento de urgência com choque hipovolêmico devido a hematêmese e melena. Após ressuscitação, uma endoscopia digestiva alta revela esôfago e duodeno normais, e varizes de fundo gástrico com sinais de sangramento recente. Subsequentemente, uma ecografia de abdome superior demonstra um fígado com ecotextura normal. Diante desse quadro clínico, o diagnóstico mais provável é uma obstrução:
Osvaldo tem 62 anos, trabalha como porteiro de escola e permanece em acompanhamento com diagnóstico de diabetes, polineuropatia e glaucoma de ângulo fechado. No retorno ambulatorial refere dor em “ambas as pernas” sendo medicado com amitriptilina. Evolui com olhos vermelhos, dor importante na cabeça e sobre os olhos, visão com halos coloridos, náuseas e vômitos. O diagnóstico mais provável de Osvaldo e a orientação pertinente são, respectivamente:
Compartilhar