Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Nefrologia

Paciente masculino, de 72 anos, relata história de dificuldade miccional progressiva. Refere episódios de retenção urinaria aguda no passado, resolvidos espontaneamente. Qual das afirmativas abaixo NÃO pode ser considerada correta para esse caso?

A
O diagnóstico mais provável é hiperplasia de próstata.
B
Deve-se considerar o toque retal para avaliar as características da próstata e diferenciação com carcinoma prostático.
C
A ultrassonografia abdominal mostra aumento da próstata fazendo protrusão no interior da bexiga junto ao colo vesical, típica de obstrução urinária baixa.
D
Deve-se questionar o paciente sobre a existência de calafrios, prostração, febre e dor ao toque retal, para diferenciar com prostatite aguda.
E
A presença de divertículo vesical grande está frequentemente associada com o quadro apresentado pelo paciente.
Adolescente, 15 anos, procurou o serviço de saúde com queixa de dor abdominal, predominante em hipocôndrio direito, náuseas e vômitos. Refere também fezes esbranquiçadas e urina escura. Ao exame físico mostra-se hipocorada +/6+, ictérica +/4+, com dor à palpação superficial e profunda em hipocôndrio direito e IMC= 38. Sem outras alterações ao exame. A hipótese diagnóstica mais provável é
Mulher, 23 anos, vem pela manhã à Unidade de Saúde da Família para realizar o exame citopatológico de colo uterino. O médico observa que na sala de espera a paciente apresenta risos imotivados, tosse, letargia, conversa com todos os presentes, com fala lentificada, está comendo a segunda barra de chocolate. Durante a consulta, constata hiperemia conjuntival, taquicardia, xerostomia, midríase, temperatura de 35,4°C. Registros de prontuário anterior apontam um irmão esquizofrênico. Mantida para observação, apresentou franca normalização dos sinais vitais e comportamentais, bem como recuperação da crítica. Considerando síndromes correlatas ao uso de drogas como hipótese diagnóstica, o diagnóstico e conduta são:
Na maioria dos serviços de cirurgia, a partir da década de noventa, incrementou-se o uso de telas de polipropileno no reparo de hérnias inguinais. O fator principal foi:
Com respeito à Doença Vascular Cerebral Hemorrágica, indique a INCORRETA.
Compartilhar