Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Paciente na 29ª semana de gestação é admitida com diagnóstico de dor abdominal aguda intensa. Ao exame a paciente encontrava-se hipertensa, com hipertonia uterina e taquicardia fetal. O médico observou que a toque a dilatação cervical encontrava-se em 3 cm e realizou amniotomia com saída de líquido amniótico sanguinolento. Em relação a amniotomia pode-se dizer que a conduta foi:

A
errada, pois acentuou o sangramento e possivelmente induziu a sofrimento fetal que poderia culminar com asfixia grave do concepto
B
errada, pois além de expor o feto a processo infeccioso tornou o parto iminente impedindo a administração de tocolíticos e corticosteroides
C
errada, pois possivelmente essa conduta acarretará distúrbios hemodinâmicos e expôs a paciente a risco de fenômenos embólicos
D
correta, pois acelerou o parto numa situação de sofrimento fetal e morte iminente do concepto
E
correta, pois tal conduta reduz o consumo de fatores de coagulação, diminui o sangramento e pode melhorar as condições maternas enquanto aguarda-se o preparo da sala de operações para interrupção imediata da gestação
Com base nos conhecimentos sobre fisiopatologia da hipertensão portal, qual a ação desejada para estancar hemorragia digestiva alta:
Lactente, 4 meses, amamentada em seio materno, apresenta dificuldade de sucção. É constipada, não sustenta a cabeça, não sorri e dorme muito. Nasceu de parto domiciliar, não realizou testes neonatais de triagem nem vacinas. O peso de nascimento foi em torno de 4 kg, teve icterícia na face e tronco durante todo o 1º mês de vida, mas não foi tratada. Ao exame, a pele é fria e seca, a boca entreaberta, a fontanela anterior ampla; está hipoativa, hipotônica, e apresenta hérnia umbilical de 2 cm de diâmetro. Qual a hipótese diagnóstica mais provável para esta criança?
A medida da PA em crianças é uma oportunidade de identificar pré-hipertensão ou HAS, assim como estimar o risco de doenças cardiovasculares. A medida de PA deve ser realizada em crianças:
Criança com dois anos de idade, atendida no pronto-socorro com quadro de dor e perda de força no membro superior direito há 1 hora. Mãe refere que a criança ia cair e ela a segurou pelo antebraço. Ao exame, o antebraço se encontra em extensão e pronado. A conduta recomendada é redução:
Compartilhar