Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Paciente politraumatizado deu entrada no pronto socorro com lesão neurológica grave, hipotenso e em coma, necessitou ser intubado durante o atendimento inicial pela gravidade do seu quadro clínico. Na sala de trauma o ortopedista observou grande edema da perna direita com sinais de esmagamento e extensa lesão de partes moles com uma fratura fechada cominutiva do 1/3 proximal da tíbia (Tscherne III). Com relação ao diagnóstico de síndrome compartimental a conduta correta é:

A
Observar parestesia e dor à extensão dos dedos.
B
Medir a pressão dos compartimentos.
C
Observar a palidez e cianose das extremidades.
D
Observar o pulso distal.
E
Observar o enchimento capilar.
A tireoidite subaguda (não supurativa) pode causar todos os distúrbios abaixo, exceto:
O ritmo central, habitualmente em frequência alfa, mais evidente em adultos e bloqueado unilateralmente com a execução de movimento da extremidade (em geral membro superior) contralateral, chama-se:
Uma criança do sexo feminino, com dois anos de idade, primogênita, gerada em apresentação pélvica e nascida de parto cesária, é trazida à consulta com história de retardo da marcha e claudicação às custas do membro inferior esquerdo. Ao exame físico, apresenta sinal de Hart positivo. O diagnóstico provável, neste caso, é:
Paciente de 52 anos de idade, masculino, com diabetes mellitus tipo II, apresenta início súbito de diplopia. O exame neurológico revela paralisia do III nervo. Qual a característica da paralisia do III nervo?
Compartilhar