Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Infectologia

Paciente portador de endocardite bacteriana apresenta quadro de dor abdominal no quadrante superior esquerdo e esplenomegalia. A tomografia computadorizada de abdome mostra coleção intraesplênica multiloculada com nível hidroaéreo. O tratamento correto é:

A
Cirúrgico com esplenectomia.
B
Antibioticoterapia de longa duração.
C
Drenagem percutânea guiada por TC.
D
Troca de válvula cardíaca afetada.
A respeito da avaliação do abdome de pacientes com trauma abdominal contuso e instabilidade hemodinâmica, são apresentadas as afirmativas abaixo. I- A realização de lavado peritoneal é contraindicada em gestantes com suspeita de lesão diafragmática. II- A ecografia abdominal tem sensibilidade diminuída na presença de enfisema subcutâneo e em obesos. III- A tomografia computadorizada é o exame que apresenta maior especificidade, devendo ser utilizado na suspeita de lesão visceral. Qual é a alternativa correta?
Paciente submetida a gastrectomia a DII devido adenocarcinoma gástrico evoluiu no pós-operatório com trombose venosa profunda de membro inferior esquerdo. No tocante ao uso de medicação anticoagulante (cumarínico), em que nível se deve manter o INR para garantir uma boa anticoagulação?
Menino, oito anos, é trazido à consulta ambulatorial por apresentar tosse diária há mais de dois meses e sensação de aperto no peito, principalmente à noite. Segundo a mãe, esses sintomas têm interferido no seu sono, pois ele acorda toda noite devido à tosse. Relata alívio temporário com o uso de beta-2 inalatório. História prévia de asma, porém, sem sintomas há um ano. Quanto à classificação da gravidade do quadro respiratório desse escolar, pode-se afirmar que se trata de asma:
Analise os conceitos abaixo sobre luxações e imobilização de fraturas e assinale aquele (s) que se apresenta (m) em desacordo com o tratamento ideal? I - O edema é um fenômeno normal após traumatismos e pode levar ao comprometimento da circulação da extremidade se a imobilização for inadequada ou excessivamente compressiva. II - Antes da aplicação de qualquer imobilização, gessada ou não, devem ser avaliadas as condições de pele, os edemas e as manobras a serem efetuadas, pois o tipo de imobilização escolhido, a posição e as moldagens devem ser programadas em função dessas condições. III - Após a imobilização, o paciente e seus familiares precisam ser informados dos riscos e dos cuidados a serem tomados, e, caso apareçam sinais compressivos de dor, cianose, isquemia e alterações da sensibilidade, o paciente deve ser observado em casa e somente retornar ao hospital caso esses sintomas permanecerem por, no mínimo, seis horas. IV - A luxação de cotovelo é uma lesão que ocorre com mais freqüência em indivíduos jovens e se apresenta com um diagnóstico fácil através da história clínica e com auxílio do RX. O seu objetivo de tratamento visa uma imobilização primária com tala gessada, seguida de observação por 24 horas, e redução no centro cirúrgico após a diminuição do edema. Referência: COHEN, M.; MATTAR JR, R.; JESUS-GARCIA FILHO, R. e colaboradores - Tratado de Ortopedia, Editora Roca, 2007.
Compartilhar