Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Hepatologia

Paciente portadora de vírus da hepatite C apresenta ecografia recente com heterogeneidade do parênquima hepático e biópsia com perda da arquitetura histopatológica. Refere há 24 horas hematêmese e melena em grande quantidade, com astenia progressiva e desconforto abdominal. Ao exame, está pálida, sonolenta, PA 70/30 mmHg, FC 140, FR 24, afebril. Na abordagem inicial de emergência, qual a conduta mais apropriada?

A
Tratamento endoscópico imediato de varizes de esôfago.
B
Octreotide e transfusão de plasma e papa de hemácias.
C
Estabilização volêmica e posterior endoscopia digestiva alta.
D
Endoscopia digestiva alta somente após adequada ressuscitação volêmica com plasma e albumina.
E
Albumina e terlipressina e se não houver disponibilidade de endoscopia digestiva alta usar o balão de Sengstaken-Blackmore.
Em relação às nefropatias associadas às doenças sistêmicas, é CORRETO afirmar que:
Josias, 10 anos, chegou à emergência do IJF com quadro de edema, hipertensão arterial e hematúria. O pediatra de plantão desconfiou de uma glomerulonefrite difusa aguda pós-estreptocócica. Além do sumário de urina, que outro exame seria bastante elucidativo para esse diagnóstico?
Em caso de Síndrome Coronariana Aguda sem supradesnivelamento do segmento ST, aponte o fator que não é considerado fator preditor de alto risco:
Considere as assertivas abaixo. I. Contagem de CD4, isoladamente, nunca define necessidade de tratamento com antiretrovirais. II. Candidíase oral em paciente HIV+ é marcador de imunosupressão severa e indica necessidade de tratamento com antiretrovirais. III. Tuberculose ganglionar é a apresentação extra-pulmonar mais frequente da tuberculose, e é a doença definidora da AIDS em pacientes HIV+. IV. Em pacientes HIV+ com meningite criptocócica, um LCR com baixa contagem de leucócitos prediz mau prognóstico. V. Hemiparesia de instação lenta em pacientes em HIV+ sugere de toxoplasmose cerebral. Escolha a opção correta:
Compartilhar