Questões na prática

Clínica Médica

Cirurgia

Gastroenterologia

Cirurgia Geral

Paciente, sexo feminino, 18 anos de idade, com história de dor epigástrica, que migrou para fossa ilíaca direita há 24 horas, associado à febre, náuseas e vômitos. Rotina laboratorial mostrava leucocitose importante com desvio à esquerda e aumento das proteínas de fase aguda. Ultrassonografia do abdome total e tomografia axial com contraste do abdome foram inconclusivas. Submetida a videolaparoscopia diagnóstica, com achado de apendicite aguda fase I, procedida a videolaparoapendicectomia. A duração da antibioticoterapia recomendada para esse caso é:

A
7 dias
B
72 horas
C
48 horas
D
24 horas
E
apenas na indução anestésica
Para a classificação de pneumonia em ambulatório de pediatria, segundo a Organização Mundial da Saúde, devem ser considerados(as):
Gestante na 25ª semana de gravidez faz sua primeira consulta no pré-natal e, nos exames de rotina, o VDRL se mostra positivo (1:32). O médico prescreve o tratamento, mas, duas semanas depois, a paciente é internada em trabalho de parto, com feto morto, pesando 850 g. Em relação ao óbito fetal, o procedimento correto é:
Nos corpos estranhos do trato digestivo alto, é correto afirmar:
Um  homem de  60 anos de idade com diagnóstico de colecistite crônica calculosa será submetido à colecistectomia videolaparoscópica. Ele também apresenta hipertensão arterial sistêmica, em uso de medicação,  com bom controle da pressão; não tem outras queixas ou doenças associadas além das citadas e não faz uso de outros medicamentos. Considerando o caso clínico apresentado, a avaliação pré-operatória desse paciente e o ato anestésico, julgue o item. De acordo com a ASA (American Society of Anesthesiologists), esse paciente é classificado, quanto ao estado físico, como ASA I, pois a doença sistêmica que apresenta é leve e está compensada.
Compartilhar