Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Paciente, sexo feminino, 24 anos de idade, vítima de acidente automobilístico, dá entrada na sala de emergência desacordada, afásica sem abertura ocular e localiza a dor ao estímulo álgico. Apresenta respiração ruidosa e utiliza musculatura acessória. O pulso é taquisfígmico e fino. Tensão arterial: 67 X 34 mmHg. Mucosas descoradas ++++/IV, extremidadas frias e cianóticas. A ausculta pulmonar é abolida à esquerda, com estase de jugular e hipertimpanismo na caixa torácica ipsilaterais. Diante do exposto, a medida mais precoce a ser instaurada pelo médico emergencista é:

A
punção venosa periférica e administração de solução cristaloide isotônica; tipo Ringer Lactado
B
punção do hemitórax esquerdo com gelco 14 no 2ª espaço intercostal
C
providenciar via aérea definitiva
D
toracostomia com tubo à esquerda no 5º espaço inercostal
E
iniciar infusão de vasopressor (norepinefrina)
Com relação à ocorrência da esclerose múltipla, tem-se:
Para avaliação das anemias carenciais, o indicador de eleição é a (o):
São critérios sócio-econômicos para a caracterização de risco gestacional:
Em um paciente com eritema nodoso, a presença de linfadenopatia hilar bilateral e uma resposta negativa ao PPD sugere o diagnóstico de:
Compartilhar