Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Paciente, sexo masculino, 28 anos de idade, chega à emergência vítima de acidente motociclístico e, segundo relato da equipe de resgate, estava sem capacete e cursou com traumatismo cranioencefálico. Ao exame, o paciente encontrava-se pálido com pulsos filiformes e com expansibilidade torácica bilateral, desorientado, apresentava abertura ocular ao chamado e não possuía movimentação espontânea, mas localizava a dor quando estimulado. Um ferimento linear em supercílio e região temporal esquerdos com sangramento ativo chamava atenção. Considerando-se o diagnóstico de trombose venosa profunda:

A
anticoagulação plena com heparina de baixo peso molecular
B
anticoagulação plena com heparina não fracionada
C
anticoagulação plena com cumarínicos
D
implante de filtro de veia cava
E
heparinização profilática
Todos os fatores abaixo estão associados a um risco aumentado de desenvolvimento de câncer do estômago, exceto:
Metástase decorrente do câncer gástrico é menor observada no:
Na comunicação interatrial,
Paciente de 61 anos, sexo feminino, sem comorbidades, deu entrada no pronto atendimento com quadro de dor abdominal, em andar superior, há 36 horas, irradiada para as costas, associada a náuseas e sensação de estufamento abdominal. Ao exame físico: PA - 130 x 70, Pulso - 92, Temperatura - 37.8ºC, e dor à palpação abdominal, principalmente em epigástrio. Exames laboratoriais: VG - 47, 11.300 leucócitos, 14% bastões, 140.000 plaquetas, amilase - 1.350, lipase 980. Ecografia de abdome: distensão de alças de intestino de delgado, múltiplos cálculos em vesícula biliar. Em relação ao caso descrito acima é correto afirmar que: I. jejum, correção hidroeletrolítica, analgesia e antibioticos devem parte da prescrição inicial deste paciente; II. a colecistectomia laparoscópica deve ser realizada após 4-6 semanas; III. caso após 48-72 horas o paciente ainda apresenta restrição de dieta via oral, a nutrição parenteral é a melhor forma de suporte calórico-proteico; IV. colangiopancreatografia endoscópica retrógrada e retirada cálculo da via biliar principal é essencial para o tratamento.
Compartilhar