Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Neurologia

Hematologia

Paciente submetido a lobectomia total tiroideana à direita com istmectomia por nódulo não captante. No pós-operatório imediato, apresentou edema e hematoma local. São considerações pertinentes à cirurgia tireoidiana e, no caso em questão:

A
observação cuidadosa, da função respiratória e, se necessário, entubação endotraqueal, curativo compressivo e encaminhamento para observação em U.T.I.
B
rever a hemostasia na sala cirúrgica, pois além do sangramento podem ter havido outras lesões acidentais locais.
C
se o hematoma se estabilizar devido à contensão da região cervical e não houver dificuldade respiratória, observar e monitorizar a função tireoidiana remanescente, pois o tipo de ressecção realizada pode levar ao hipotiroidismo e necessidade de reposição hormonal tireoidiana.
D
preocupação muito particular com a coagulação sanguínea e o uso de plasma fresco, além da necessidade do estudo de plaquetas e fibrinogênio.
E
manter o paciente em observação permanente e, se houver insuficiência respiratória, rever a hemostasia, mesmo porque, pode haver lesão do nervo recorrente, e a ablação eventual de paratireoides, no caso, não leva ao hipoparatiroidismo.
No trauma abdominal podemos afirmar que:
Um neonato de 6 dias de idade é levado para a emergência de um hospital por causa de cianose e letargia. O bebê nasceu de parto vaginal espontâneo e foi liberado para casa sem complicações, com dois dias de vida. O bebê foi encontrado em seu berço hoje com coloração azulada. Ao exame, a temperatura é de 36°C, a pressão arterial está 70/30 mmHg, a frequência respiratória é de 40 ipm, e o pulso é 180 ppm. Há também hepatomegalia marcante, pulsos periféricos fracos, e sopro sistólico ++/6+. O problema cardíaco congênito mais provável é:
Adolescente do sexo masculino, 14 anos e 6 meses, vem à consulta para acompanhamento ambulatorial. O exame físico revela: volume testicular 3,8 ml; pelos longos e finos na base do pênis; estatura 147 cm (<p3); peso 39 kg (<p3). Velocidade de crescimento: 2,5 cm/ano. Estatura materna: 141 cm, estatura paterna: 160 cm. A principal hipótese diagnóstica neste caso é:
Recém-nascido apresenta hipotonia, epicanto, fenda palpebral oblíqua, prega simiesca, clinodactilia do 5º dedo da mão, afastamento entre o 1º e o 2º dedos do pé e frouxidão ligamentar. O cariótipo mostra o seguinte resultado: 47 XY +21. Podemos afirmar que:
Compartilhar