Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Paciente, três anos de idade, é internado com história de tosse há 2 semanas, tendo piorado nos últimos dias com febre alta, anorexia e crises convulsivas. O exame físico mostra que o estado geral é precário, toxemiado, gemente, dispneico com tiragem IC. O RX de tórax mostra imagem de condensação bilateral. O PPD foi forte reator e o LCR: hipercelularidade, hiperproteinorraquia e hipoglicemia. O diagnóstico mais provável é:

A
septicemia com choque tóxico infeccioso.
B
HIV/SIDA.
C
envolvimento neurológico pelo Micobacterium tuberculosis.
D
histiocitose X.
E
neurocísticercose.
M.S.T., masculino, 8 meses, nascido a termo, parto vaginal com fórceps, Apgar 5/9 e peso de 3200 g. Recebeu aleitamento materno até 3 meses de idade, quando foi introduzido leite de vaca integral diluído ao meio e dieta complementar. Na consulta de rotina na UBS, observado baixo ganho de peso, palidez, esplenomegalia discreta e atraso do desenvolvimento neuropsicomotor. Não há referências de doenças familiares. A hipótese diagnóstica e conduta mais corretas neste caso seriam:
Nódulos de Heberden e Bouchard são característicos de:
De acordo com a classificação do risco cirúrgico da Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA), paciente com doença sistêmica grave que limita atividades, mas não o deixa incapacitado é classificado como ASA:
A associação de ceratite intersticial e perda auditiva neurossensorial caracteriza a seguinte vasculite:
Compartilhar