Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Paciente vítima de briga de bar apresentando inúmeros ferimentos de arma branca em tórax e abdome, um deles com evisceração. Apresentava-se eupneico e com o murmúrio vesicular normal em todo o campo pulmonar e as bulhas cardíacas estavam normofonéticas. A radiografia de tórax não evidenciou pneumotórax. Foi levado à laparotomia exploradora onde foram evidenciados inúmeras perfurações em estômago, jejuno e cólon, sem hemorragia intra-abdominal significativa. Após 1 hora de procedimento cirúrgico, o paciente apresentou hipotensão severa que não respondeu à reposição volêmica com cristalóides. Marque a resposta correta.

A
Trata-se de choque hipovolêmico e o paciente necessita de transfusão imediata de concentrado de hemácias
B
O paciente necessita de toracotomia imediata para tratamento de tamponamento cardíaco
C
O paciente provavelmente necessita de drenagem de tórax.
D
Trata-se de choque séptico, a cirurgia deve ser encerrada o mais rápido possível e o paciente deve ser removido à UTI
E
A radiografia de tórax e a pericardiocentese são mandatórias para o diagnóstico do caso acima
Menino de oito meses chega à Emergência por estar “muito paradinho”. Mãe informa que ele vem emagrecendo progressivamente após o desmame, aos seis meses. Ao exame físico, paciente em estado grave, desnutrido (-3DP), letárgico, hipotérmico, com enchimento capilar lentificado (> 3 segundos), icterícia, púrpura e hepatoesplenomegalia dolorosa. A conduta imediata mais recomendada nesse caso consiste em dar início a:
Nilmar, 55 anos, tem dor lombar de média intensidade. Progrediu com limitação dos movimentos de membros inferiores, há 6 meses. Foi tratado inicialmente com fisioterapia, acupuntura e anti-inflamatórios com melhora discreta. Queda de bicicleta há 1 mês e a radiografia mostra fratura, com lesão lítica em úmero esquerdo. Na radiografia da coluna lombar observa-se fratura com achatamento de L2 e L3. Exame físico: palidez cutaneomucosa 2+/4, anictérico, ausência de petéquias e equimoses; RCR 2T; ap. respiratório sem alterações. Sem edemas em membros inferiores. Exames complementares: Hemácias 2.950.000/mm3, hemoglobina 8.1 g/dl, hemátocrito 26% VGM 88 fL, Leucócitos 6400/mm3 com contagem diferencial normal e plaquetas 180.000/mm3. VHS 90 mm na primeira hora. Ureia 125 mg/dL, creatinina 4,8 mg/dL, albumina 2.8 g/dL, globulina 6,0 g/Dl. Proteinúria 2 g em 24 horas. A alteração citogenética que confere um prognóstico desfavorável no caso acima é:
Mulher, 32 anos, com poliartrite periférica há 2 meses. O exame que NÃO tem relevância na investigação diagnóstica é :
Sr. Carlos, 70 anos, chega a emergência com dor nas costas, que piora com a tosse e a mobilização. Tem câncer de pulmão não pequenas células, tipo epidermoide. Exame físico: discreta paraparesia de MMII. Ressonância magnética: lesão lítica no corpo de T12, com compressão medular. A conduta inicial é:
Compartilhar