Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Para a definição de morte encefálica, os critérios abaixo são fundamentais:

A
Trauma crânio-encefálico grave, coma grau 3 na escala de coma de Glasgow há mais de 48 horas e teste de apneia positivo.
B
Coma grau 3 na escala de coma de Glasgow há mais de 72 horas, ausência de sinais de atividade cerebral e teste de apneia negativo.
C
Teste de apneia positivo com paCO2 maior que 45 mmHg, hipotensão com PAM < 40 mmHg há mais de 12 horas.
D
Coma de causa conhecida, ausência de sinais de atividade do tronco cerebral e teste de apneia positivo.
E
Coma grau 3 na escala de coma de Glasgow há mais de 48 horas, dependência de ventilação mecânica há pelo menos 48 horas e teste de apneia positivo.
Em relação à tuberculose, assinale a conduta correta em relação a uma criança contactante (pai é BK positivo++), de 5 anos, assintomática, vacinada e com PPD de 17 mm.
Considerando o caso de um paciente adulto com queimadura somente de epiderme e derme na região anterior do tórax, no abdome, na genitália, na coxa e na perna direita, assinale a opção incorreta.
Fabiana, 14 anos, veio acompanhada com a mãe à consulta com seu médico de família. Fabiana queixa-se de “espinhas” e muito preocupada, pois ainda “não ficou menstruada e todas as amigas já ficaram”. Ao examinar Fabiana, o médico avaliou de acordo com a classificação de Tanner, que Fabiana se encontrava nos estádios M3, P3. Peso: 46Kg e Estatura: 1,55 m. Quanto ao desenvolvimento puberal de Fabiana, qual a hipótese diagnóstica mais provável?
Fernando, 3 anos, branco, compareceu a seu médico de família levado pela mãe com exames complementares já realizados. Fernando estava em bom estado geral, eutrófico e a única alteração apresentada no exame físico foi palidez palmar leve. Os exames apresentavam os seguintes resultados: Hb:10,3 g/dL, VCM: 70, CHCM: 28, ferritina sérica diminuída, saturação de transferrina diminuída, ferro sérico diminuída. Qual o diagnóstico mais provável para Fernando?
Compartilhar