Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Para se fazer o diagnóstico da DIP grau I, cujo tratamento é ambulatorial nos valemos de qual propedêutica?

A
Ultrassonografia transvaginal fecha o diagnóstico.
B
Ultrassonografia transvaginal e hemograma.
C
Sinais e sintomas e exame clínico.
D
Citologia oncótica e ultrassonografia transvaginal.
E
Hemograma e culdocentese.
Paciente de 45 anos, masculino, proveniente de Palmeiras - Goiás, com queixa de ferida no pênis há 6 meses. Ao exame físico mostra lesão úlcerocrostovegetante, com bordos elevados, com 3,0 cm de diâmetro e fundo sujo. Refere relação sexual sem proteção e uso de Penicilina injetável por conta própria. Foi feita hipótese diagnóstica de doença sexualmente transmissível e câncer. Realizada biópsia da lesão. Marque a alternativa mais correta para o caso.
Na execução de um curativo, sobre a ferida, segundo as regras clássicas:
São considerados rotadores internos do ombro, exceto:
Mulher de 71 anos procurou auxilio médico com queixa de fraqueza e coloração amarelada da esclera e urina escura. Negou uso de álcool, medicamentos e drogas ilícitas. Ao exame observou-se icterícia. O baço e o fígado não eram palpáveis. Os exames complementares evidenciaram: anemia normocitica e normocrônica com hemoglobina =10,1g%, bilirrubina sérica total <8,9g/dL, fosfatase alcalina = 3 vezes o limite superior de referência (LSR), gama- glutamiltransferase = 4 vezes o LSR, e presença de bilirrubina na urina ao exame pela fita reagente. Os demais aspectos do exame de urina não evidenciavam alterações e as aminotransferases estavam dentro dos valores de referência. Considerando-se os dados clínicos e as alterações laboratoriais observadas, qual seria o próximo passo na abordagem diagnóstica deste caso ?
Compartilhar