Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Por qual motivo a mamografia é o principal exame no rastreamento de câncer de mama?

A
identificar cistos mamários
B
estadiamento do carcinoma de mama
C
identificar pacientes de risco
D
identificar nódulos palpáveis
E
identificar lesões subclínicas
Analise o seguinte quadro médico. No seu ambulatório, dá entrada uma paciente de 72 anos, com queixa de dor abdominal tipo cólica, náuseas e vômitos. Quando do exame físico, observa-se abdome levemente distendido e doloroso à palpação, porém sem irritação peritoneal, e uma pequena massa com dois centímetros, não redutível, que é dolorosa à palpação e está abaixo da linha inguinal direita. Não há visceromegalias ou tumorações palpáveis. A hipótese diagnóstica mais provável do quadro é:
Um recém-nascido é transferido de outro hospital e transportado pelo SAMU. Quando solicitado o leito, o médico relatou se tratar de um recém-nascido a termo, nascido após cesárea marcada a pedido da gestante. O líquido amniótico foi claro. O Apgar foi 6 e 8. Recebeu oxigênio inalatório devido à cianose. Como persistiu com cianose, com hipótese de cardiopatia congênita, o oxigênio foi suspenso. Após transporte, que demorou em torno de três horas, o recém-nascido chegou a este serviço com 7 horas de vida, em más condições, cianose generalizada, saturação de oxigênio variando de 55 a 60% e má perfusão. Um médico socorrista relata que foi mantido sem oxigênio no transporte. Imediatamente foi intubado, colocado em ventilação mecânica com FiO2 = 100%; houve melhora progressiva com saturação chegando a 92%. Pelo exame físico, a idade gestacional foi de 36 semanas. RX de tórax evidenciou pulmões hiperinsuflados, com infiltrado difuso bilateral e área cardíaca um pouco aumentada. Diante deste relato, pode-se afirmar:
A conduta na retenção da placenta no secundamento com hemorragia copiosa é a:
Qual das situações abaixo é considerada complicação imediata de tireoidectomia?
Compartilhar