Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Neurologia

<P>Paciente de 50 anos admitido no pronto-socorro com quadro de confusão mental com 2 dias de evolução associado a temperatura de 37,4ºC. Na avaliação diagnóstica inicial não demonstrava rigidez de nuca. Exame físico segmentar normal. Realizou TC de crânio que não demonstrou alterações. Exames laboratoriais: hemograma normal, glicose 80 mg% (N: 74–106 mg/dl), Na+ 140 mEq/l (N: 136–146 mEq/L), K+ 4,5 mEq/l (N: 3.5–5.1 mEq/L), Ca 8,8 mEq/l (N: 8.6–10.0 mg/dl). Liquor com aumento de proteínas e leucócitos. Em relação ao caso, é correto esperar:</P>

A
<P>liquor com predomínio de polimorfonucleares</P>
B
eletroencefalograma com alterações descritas como descargas epileptiformes lateralizadas periódicas
C
ressonância magnética encefálica com lesão hiperintensa em T2 localizada em lobo occipital
D
eletroneuromiografia demonstrando um padrão de desmielinização
E
arteriografia cerebral evidenciando fístula arteriovenosa em topografia de cerebral média
Num ambulatório de cirurgia geral são atendidas 5 crianças: I- Menino de 2 meses com hidrocele direita; II- Menino de 18 meses com criptorquidia; III- Menino de 4 meses com fimose; IV- Menina de 5 meses com hérnia inguinal esquerda; V- Menina de 2 meses com hérnia umbilical. Quais os pacientes que já apresentam indicação cirúrgica?
Lactente de 9 meses apresenta-se no pronto atendimento em estado de mal epiléptico (mais de 30 minutos de duração). A despeito do tratamento instituído, persiste a atividade convulsiva e instala-se o estado de mal epiléptico refratário. A droga de escolha a se utilizar neste momento no paciente é:
Vinte e quatro horas após ter recebido as vacinas preconizadas pelo atual calendário básico do Ministério da Saúde para os quatro meses de idade, Ana apresentou crise convulsiva tônico-clônicas generalizadas. Ela já controlava o tônus cervical e apresentava sorriso social, tendo perdido tais marcos de desenvolvimento. Sua gestação e parto não apresentaram intercorrências e ela foi considerada normal até a época dessa ocorrência. Não foi identificado nenhum vínculo epidemiológico com pessoas com doenças febris. A vacina provavelmente relacionada a este efeito adverso grave é a:
Tratando-se de Ruptura Prematura Pré-termo de Membranas (RPPM), pode-se afirmar:
Compartilhar