Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Pneumologia

Dermatologia

Doenças Respiratórias

Pré-escolar do sexo masculino, com três anos de idade, foi levado por sua mãe ao posto de saúde com relato de tosse persistente, obstrução nasal e dermatite atópica há dois anos, que pioram com mudança do clima. Relata ainda falta de ar e chiado no peito à noite, semanalmente, que alivia após nebulização com broncodilatador. Segundo a mãe, ele tem tosse e cansaço praticamente todo dia. Refere que a criança já foi internada na UTI duas vezes devido à crise grave de asma. O pai tem asma, a mãe e a irmã rinite alérgica. Ao exame físico, verificou-se estar à criança emagrecida, com discreto aumento da região esternal, obstrução nasal, e presença à ausculta pulmonar de esforço expiratório e discreta sibilância. Com base nessa situação hipotética, assinale a alternativa correta:

A
A presença de dermatite atópica e história parental de asma neste paciente reforçam o diagnóstico de asma.
B
Segundo a IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma, a classificação da gravidade da doença, neste caso, é de asma persistente leve.
C
O tratamento de manutenção (profilaxia) indicado neste caso é a associação de corticoide inalatório com um broncodilatador de curta duração.
D
Não há, neste caso, a indicação de profilaxia com corticoide inalatório, pois trata-se de asma intermitente.
E
A prescrição de um antialérgico por via oral é suficiente para o tratamento deste paciente, uma vez que o quadro é predominantemente alérgico.
Considere um paciente apresentando dor torácica, febre e expectoração purulenta há uma semana. O exame radiológico do tórax mostra uma consolidação alveolar no lobo superior direito e derrame pleural à direita. Efetua-se uma punção pleural cujo líquido se mostra amarelo claro e com os seguintes resultados de laboratório: densidade = 1025, proteínas de 3,5 g%, LDH de 500 UI/l, glicose de 70 mg/dl, pH de 7,3 e predomínio de polimorfonucleares com bacterioscopia e cultura negativas. Qual a melhor conduta terapêutica em relação ao derrame pleural?
Criança nasceu com idade gestacional de 37 semanas, por cesárea eletiva, em boas condições (Apgar de 7 e 9 no 1º e 5º minutos de vida). Logo após o nascimento apresentou desconforto respiratório caracterizado por taquipneia, retrações intercostais e gemido audível sem estetoscópio, requerendo oxigênio suplementar já na sala de parto. Encaminhada a UTI neonatal, mantinha quadro respiratório sendo colocada em capacete de oxigênio. Realizada radiografia de tórax com 3 horas de vida, que mostrou hiper-insuflação, derrame intercisural e aumento da trama Peri-hilar. O diagnóstico mais provável:
Julgue o item que se segue, relativo ao caso clínico de uma paciente de 40 anos de idade portadora de litíase biliar sintomática. Se a paciente referir dor no hipocôndrio direito há mais de 24 horas, febre, e o exame físico evidenciar sinal de Murphy, a colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) estará indicada.
Julgue o item que se segue, relativo ao caso clínico de uma paciente de 40 anos de idade portadora de litíase biliar sintomática. Caso essa paciente apresente colecistite aguda, o evento fisiopatológico inicial deve ter sido a contaminação do conteúdo da vesícula biliar.
Compartilhar