Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta, 33 anos, chega ao pré-natal com 28 semanas de gestação, considerada a data da última menstruação. Ainda não realizou nenhum exame complementar. Na realidade, esta é a primeira vez que vai a um médico. Ao exame físico, constata-se feto único, FU: 26 cm, BCF: 144 bpm, regular, e PA: 160 x 100 mmHg. O exame destinado a fazer o diagnóstico diferencial entre Doença Hipertensiva Específica da Gravidez (DHEG) e hipertensão crônica é:

A
dopplerfluxometria obstétrica colorida.
B
proteinúria de 24 horas.
C
ultrassonografia obstétrica.
D
dosagem de albumina sérica e plaquetas.
E
dosagem do ácido 4-hidroxiindolacético.
Paciente na 1ª consulta de pré-natal nos exames de rotina apresentou exame para Toxoplasmose IgG negativa. A conduta durante o pré-natal será?
Paciente, 65 anos, negra, GIV e PIV, menopausa aos 49 anos. Iniciou Terapia de Reposição Hormonal (TRH) por sintomatologia, com Estrogênios + Progesterona (E + P). Após 3 meses apresentou sangramento. A ultrassonografia transvaginal mostrou endométrio de 11 mm. Qual a conduta a seguir?
Paciente de 54 anos realizou mamografia que evidenciou imagem nodular espiculada densa, que na USG é irregular, hipoecogênica, com diâmetro AP > T, com sombra. Fez core biopsia, cujo resultado foi “Alterações fibrocísticas da mama”. O radiologista colocou no laudo com “imagem altamente suspeita”. Qual o próximo passo propedêutico?
Paciente masculino, 45 anos, procurou serviço de emergência com dor precordial opressiva de forte intensidade iniciada há cerca de 30 minutos. Realizou eletrocardiograma (ECG) que evidenciou supradesnivelamento do segmento ST DE 2 mm de V1 a V4, o que fez com o plantonista optasse pelo tratamento fibrinolítico. Em relação ao benefício deste tratamento é correto afirmar que:
Compartilhar