Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta, com 35 semanas de gestação, chega ao pronto-socorro, em choque hipovolêmico, com quadro de coagulopatia e ausência de batimentos cardíacos fetais. Ao exame especular verifica-se discreto sangramento escuro. A hipótese diagnóstica clínica é:

A
rotura de vasa prévia.
B
descolamento prematuro de placenta.
C
placenta prévia.
D
rotura uterina espontânea.
E
síndrome do anticorpo antifosfolípide.
Considere as seguintes situações de dissecção aguda da aorta tipo B: 1. Desobstrução de ramos viscerais, com ou sem uso de stents. 2. Fenestração endovascular na presença de isquemia grave de membro inferior. 3. Implante de stent na luz verdadeira, em dissecções não complicadas. 4. Implante de endoprótese recoberta, em paciente clinicamente instável, sem envolvimento abdominal. A terapia endovascular NÃO está justificada em consensos no(s) caso(s):
Paciente de 9 anos vai ao pediatra por apresentar há 4 dias vesículas sobre base eritematosa agrupadas em hemitórax esquerdo, formando arranjo linear (distribuição em dermátomo). Refere dor e prurido discretos. Antecedentes mórbidos pessoais: Varicela com 1 ano, 1 internação por pneumonia com 2 anos e asma. Diante do exposto, o diagnóstico mais provável é:
O questionário CAGE é uma ferramenta que possibilita o rastreamento de possível dependência de bebidas alcoólicas, situação associada a diversos problemas de saúde. Assinale a alternativa que NÃO consiste em um dos aspectos avaliados pelo questionário:
A combinação de dextroposição da aorta, estenose de artéria pulmonar, CIV e hipertrofia de VD configura a seguinte malformação cardíaca cianótica:
Compartilhar